Um menino de 6 anos que deu entrada esta sábado, 15 de janeiro, no hospital de Santa Maria com "um quadro de paragem cardiorrespiratória" acabou por morrer este domingo, 16. A criança estava infetada COVID-19 e sabe-se que tinha levado a vacina da Pfizer contra o vírus uma semana antes, de acordo com um comunicado do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN). O Infarmed confirmou, entretanto, que recebeu esta segunda-feira, 17, uma notificação de suspeita de reação adversa sobre o menino.

"Confirmamos que recebemos a notificação de suspeita de reação adversa no decorrer do dia de hoje e que a mesma se encontra a ser tratada pelo Infarmed em conjunto com a Unidade Regional de Farmacovigilância de Lisboa, Setúbal e Santarém", disse a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) à agência Lusa, citada pela CNN Portugal.

Risco de morte por COVID-19 é maior em pessoas não vacinadas, diz DGS e INSA
Risco de morte por COVID-19 é maior em pessoas não vacinadas, diz DGS e INSA
Ver artigo

O Infarmed está agora a recolher "toda a informação clínica" sobre o menino de 6 anos de modo a perceber o que poderá ter estado na causa da morte: se a infeção, a vacina ou qualquer outro motivo. Dados adicionais são essenciais "para análise e avaliação da imputação de causalidade, uma vez que, não sendo a aparente relação temporal o único determinante na avaliação da causalidade", continua o Infarmed.

A morte da criança já foi comunicada à base de dados europeia EudraVigilance, o sistema de gestão e análise de informações sobre suspeitas de reações adversas a medicamentos que foram autorizados ou em estudo em ensaios clínicos no Espaço Económico Europeu.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal três crianças entre os 0 e os 9 anos, contagem da qual não faz parte o menino de 6 anos dado que não foi ainda reportada nos dados da DGS.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.