Foi na quinta-feira, 1 de outubro, que uma rixa entre adolescentes pertencentes a grupos rivais resultou na morte de um jovem de 16 anos na estação da CP, na Amadora. A vítima trata-se de Marcelo Correia que sofreu três golpes de uma arma branca, que se revelaram fatais. O autor do crime entregou-se à Polícia Judiciária (PJ) este sábado, 3 de outubro, e foi imediatamente detido.

A rixa decorre de um confronto entre dois grupos rivais, um de Chelas e outro de Queluz, em que dois dos jovens estariam interessados na mesma rapariga e, por isso, mantinham um conflito aceso nas redes sociais através da troca de insultos e de ameaças. Nos dias anteriores ao confronto físico, o tom da discussão foi elevando-se e ganhando maior seriedade ao ponto de os dois grupos decidirem marcar um confronto na rua para acertar contas, segundo conseguiu apurar o "Jornal de Notícias".

O local escolhido para o encontro foi a estação da CP da Amadora. Quando Marcelo Correia e o seu grupo, de Chelas, chegaram à estação, já os esperava uma dezena de adolescentes de Queluz. Vários dos jovens tinham facas, avança a mesma publicação. O confronto físico durante "uma dezena de minutos" e terá sido aí que Marcelo Correia foi ferido com três golpes.

Amadora. Jovem de 16 anos morre esfaqueado após rixa na estação de comboios
Amadora. Jovem de 16 anos morre esfaqueado após rixa na estação de comboios
Ver artigo

O alerta para o INEM e para a PSP foi dado às 20h13 de sábado por passageiros que encontraram a vítima já num estado bastante debilitado numa rampa de acesso ao átrio da estação. Nessa altura, já os amigos da vítima e os restantes elementos do grupo de Queluz tinham fugido. O óbito foi declarado no local, avança o mesmo jornal.

Após o alerta e a declaração do óbito, os agentes da PJ recolheram as imagens gravadas pelas câmaras de videovigilância da estação permitindo, assim, identificar o responsável pelas três facadas que tiraram a vida a Marcelo Correia.

O suspeito, esse, pôs-se em fuga e nunca mais se dirigiu a casa até deslocar-se, este sábado, às instalações da PJ em Lisboa junto do seu advogado para confessar o crime — alegando, no entanto, não ter tido intenção de o matar.

O jovem está, atualmente, em prisão preventiva.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.