Couro cabeludo com sensação de estar húmido, cabelo que não se aguenta mais de dois dias e aquela sensação de cabelo pesado quando não era suposto.

A oleosidade é algo comum, e já todos nós tivemos que recorrer aos champôs com rótulos a prometer que toda aquela sensação de cabelo mal lavado acabaria com uma lavagem.

Mas para perceber o porquê deste fenómeno que, muitas vezes, vai e vem, fomos falar com especialistas que, em primeiro lugar esclareceram que os cabelos finos têm mais tendência a ficar oleosos. "Mas é necessário entender que a oleosidade está mais relacionada com couro cabeludo do que com cabelo. Ou seja, os produtos de tratamentos de oleosidade e de patologias do couro cabeludo em geral, devem ser usados o máximo possível apenas no couro cabeludo, usando produtos mais adequados para o cabelo." começa por dizer Cláudio Peixoto, Diretor Técnico B’Shine Cosmetics.

Segundo Sergey Sofin, a oleosidade de cabelo é um processo natural. "Na raiz do cabelo, existem glândulas sebáceas que segregam uma substância oleosa chamada sebo. Geralmente, esse sebo é necessário. Graças a ele os cabelos ficam saudáveis e suaves, e também protegidos de ficarem secos e quebrados. O aumento de produção de sebo faz o cabelo oleoso." como diz Sergey Sofin, o art director da Moscow Beauty Bar.

Especialista explica como encaracolar o cabelo usando um alisador em apenas 3 passos
Especialista explica como encaracolar o cabelo usando um alisador em apenas 3 passos
Ver artigo

Cláudio Peixoto acrescenta ainda que a oleosidade juntamente com o "suor (água e sais minerais) cria a melhor emulsão possível para manter um couro cabeludo e cabelo saudável."

Este processo natural pode aparecer no cabelo devido a vários factores, como o top estilista Anis da Moscow Beauty Bar acrescenta. E enumera: muitas lavagens do cabelo (o cabelo começa a sujar-se mais rápido também); escolha errada de champô e outros produtos para cuidar o cabelo; problemas hormonais ou genética (stresse, gravidez, período de adolescência).

Como podemos lutar a oleosidade?

Antes de mais, ter cuidado com a manutenção do cabelo. "Evite lavá-lo com água quente, isso só irá desencadear a produção da gordura subcutânea", aconselha Sergey Sofin. O especialista refere ainda que o melhor é não usar muito amaciador. "Use champô especial para cabelos oleosos, isso é muito importante", acrescenta.

Já Anis diz que o melhor é consultar um estilista ou até um médico para encontrar uma causa de oleosidade. Além disso, o cabeleireiro com sete anos de carreira indica que não se deve lavar o cabelo todos os dias. "Tem de tentar diminuir e ver o resultado. Por exemplo uma vez a cada dois dias. Se melhorar, tem de continuar, aí já pode lavar o cabelo com menos frequência."

Cabelos. Estes são os cortes, cores e penteados mais trendy para o verão de 2020
Cabelos. Estes são os cortes, cores e penteados mais trendy para o verão de 2020
Ver artigo

Para além de evitar lavar com água quente, o ideal é terminar a lavagem com água fria. "Podem ajudar champôs secos, porque eles contêm o mineral em pó que absorve o excesso de oleosidade. Ou pó especial para raízes. Também um spray de sal do mar tem um efeito positivo sobre a função das glândulas sebáceas.", acrescenta Anis.

Cláudio Peixoto acrescenta que não se deve impedir o cabelo de ficar oleoso. "Perderíamos a capacidade de proteção e o manto hidrolipidico do couro cabeludo, que o protege contra a absorção de substâncias nocivas e mantém a flora cutânea estável." O cabeleireiro com 12 anos de carreira, acrescenta que champôs com extratos de carvão ativo são indicados para as situações onde a oleosidade é mais grave.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.