Joana Marques foi entrevistada por Manuel Luís Goucha no programa “Conta-me”, na TVI, que foi transmitido este sábado, 9 de dezembro. Além de falar sobre o seu tipo de humor, a humorista da rubrica “Extremamente Desagradável”, que estará na Altice Arena, em Lisboa, nos dias 22 e 23 de março, com o espetáculo “DesConfia”, falou sobre Cristina Ferreira e explicou o porquê de a apresentadora ser tão “apetecível” para as suas piadas.

Teresa Guilherme desiludida: "No dia em que não tinha poder as pessoas desapareceram todas"
Teresa Guilherme desiludida: "No dia em que não tinha poder as pessoas desapareceram todas"
Ver artigo

Manuel Luís Goucha quis saber o motivo pelo qual Cristina Ferreira é “tão apetecível” para Joana Marques. “Eu acho que a Cristina é das pessoas que mais fair play tem. Acaba por ser das pessoas de quem eu mais falo, também por ser ela e por ter a vivência que tem e por fazer muita coisa, a mim dá-me muito jeito. E é também daquelas que nunca se queixaram e eu acho isso admirável num mundo onde as pessoas se levam tão a sério e não aceitam esse outro lado”, começou por dizer a humorista.

“Eu acho que a Cristina é uma figura única em Portugal”, disse. “A mim fascina-me e acho que estamos pouco habituados a isso, a pessoas como ela, que digam: ‘eu faço e eu aconteço, é para ir para ali falar inglês e eu vou’. Pronto, é esse lado destemido que para mim é apetecível também, do lado de quem está só de braços cruzados a ver e a mandar umas bocas”, continuou.

Quanto às figuras públicas que Joana Marques aborda nos seus programas, esta afirma que as pessoas que sempre lhe deram “mais vontade de rir” são “assim os convencidos, as pessoas que têm um ego muito insuflado”, talvez por esta não ser assim. “Eu acho isso muito engraçado, porque as pessoas de repente falam delas próprias sem vergonha de gabarem os seus atributos, as suas qualidades, e eu acho que isso para fora resulta num discurso muito engraçado”, explicou.

Joana Marques revelou que já foi ameaçada na Internet, mas que não dá "valor" a isso. Para a humorista, não há pessoas "intocáveis" e todas podem ser "ou alvo de crítica séria ou alvo de humor ou alvo de grandes elogios". "Às vezes espanta-me que algumas pessoas tenham a expectativa de participar aqui neste jogo só com a parte boa. 'Olha, eu quero ter fãs, quero ir a restaurantes e arranjarem-me a melhor mesa, quero ser muito elogiado, mas depois não quero que alguém possa vir e dizer alguma gracinha sobre mim'", disse.

“Quem é Joana Marques?”, perguntou Manuel Luís Goucha no final da entrevista. “É uma pessoa que, de facto, não se leva muito a sério, que adorava que os outros não se levassem também e que não tornassem isto uma guerra, porque não é nada disso. Até a linguagem que às vezes é usada, um bocadinho bélica, ‘Joana Marques arrasa não sei quem, destrói’ e a minha intenção nunca é essa”, respondeu a humorista.

“Não estou a dizer com isto que toda a gente tem de gostar, nada disso, mas que se divirtam mais e se não gostarem ouçam outra coisa, porque há tanta coisa”, disse. “Não percam tanto tempo das vossas vidas a não produzir nada, não é? Só a destilar um ódio que as pessoas pensam assim: ‘eu estou a destilar ódio porque é o que ela também faz’. Mas estão enganadas, não estou a destilar ódio nenhum, estou só a divertir-me e a tentar divertir alguém nesse processo, espero que consiga”, explicou.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.