A 12 de julho de 2020, e com apenas 27 anos, Benjamim Keough, cometia suicídio. A única filha de Elvis Presley perdia o filho mais velho, que lutava contra uma depressão e dependência de álcool e drogas. Dois anos após perder o filho, Lisa Marie partilhou na revista "People" uma reflexão sobre o momento mais trágico da sua vida, admitindo que “nunca o vai superar” e que a “maioria dos amigos” deixou de a contactar, pois esperavam que “voltasse à vida normal”.

“A dor é incrivelmente solitária (…) então, se conheces alguém que perdeu um ente querido, independentemente do tempo que tenhas passado com essa pessoa, liga para saber como ela está”, começa por escrever Lisa Marie, referindo-se aos amigos, nos quais inclui a “família”, que desapareceram na altura que mais precisava. A cantora confessou que os grupos de apoio e os pais que sofreram uma perda semelhante ajudaram-na a sentir-se “um pouco menos sozinha”. “E agora também passei a amar e a cuidar dos meus novos amigos que também estão neste 'clube'”, revela.

Anna Westerlund. "O Pedro morreu de suicídio porque o suicídio é uma consequência de uma doença mental"
Anna Westerlund. "O Pedro morreu de suicídio porque o suicídio é uma consequência de uma doença mental"
Ver artigo

Lisa Marie explica que este não é um “tema confortável” e que é “difícil de enfrentar”, mas para “fazermos algum progresso”, acredita que “o luto tem de ser falado”. “Estou a partilhar todos os meus pensamentos na esperança de que, de alguma forma, possamos mudar isso”, revela a cantora, no início do seu ensaio, acrescentando que “a morte faz parte da vida (…) – e o luto também”.

A filha da lendária estrela do rock confessa ainda que a morte do filho "detonou" por completo a sua vida e a vida das filhas, Riley, de 33 anos e das gémeas Finley e Harper, de 13. "A vida como nós a conhecíamos foi completamente detonada e destruída pela morte dele. Vivemos isto todos os dias".

Para além de partilhar todas as suas aprendizagens e o processo de luto pelo qual passa, a cantora deixa vários apelos. O último dirige-se a todos aqueles que tiveram algum amigo que perdeu “um filho, um pai, um marido, um irmão, um noivo, qualquer um”: “Pergunta como eles estão, pede para falarem sobre a pessoa que partiu, sim! Nós queremos falar sobre eles. É assim que os mantemos vivos nos nossos corações, é assim que eles não são esquecidos, é isso que nos mantém vivos também”.

Benjamim Keogh, filho de Lisa Marie Presley e neto de Elvis Presley, suicidou-se na mansão da família, em Calabasas, na Califórnia. Keogh tinha 27 anos e era músico.

Está a lidar com uma perda? Eis algumas linhas de apoio:

  • Linha SOS voz amiga. Linha de apoio emocional e prevenção ao suicídio: 213 544 545 / 912 802 669 / 963 524 660 (diariamente das 15h30 às 00h30)
  • Conversa amiga. 808 237 327 | 210 027 159 (das 15h - 22h)
  • Vozes amigas de esperança de Portugal. 222 030 707 (das 16h - 22h)
  • Telefone da amizade. 222 080 707 (das 16h às 23h)
  • Voz de apoio. 225 506 070 (das 21h às 00:00h)
  • Apoio à Vítima. 116 006 (das 8h às 22h)
  • Site de apoio ao luto: https://www.apelo.pt/index.php/pt-pt/

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.