Na última emissão deste ano de "Conta-me", o programa de Manuel Luís Goucha sobre conversas francas e descontraídas, o apresentador foi entrevistado pela colega e amiga de vários anos, Cristina Ferreira. Num diálogo marcado pela cumplicidade e por algum saudosismo, Manuel Luís Goucha falou da sua relação com a mãe, agora com 97 anos, que, garante, é a mulher da sua vida.

"É a mãe que construí, porque ela tem muitas fragilidades e alguns defeitos que herdei dela, como a forma brusca de falar e que, por vezes, dou por mim a usar também e a pensar que tenho de ter mais calma. Mas é a mulher da minha vida", começa por dizer a Cristina Ferreira. Sobre a facilidade com que a sua mãe a sua homossexualidade, o apresentador recorda um momento que chegou, até, a partilhar nas suas redes sociais.

"Na altura, escrevi isto nas minhas redes sociais e chegou a ser mal interpretado. As pessoas não perceberam a mensagem. Quando disse à minha mãe que lhe queria explicar o que era ser homossexual, ela disse-me que não queria saber o que era isso porque bastava-lhe que eu fosse feliz. Como é que as opiniões dos outros podem importar quando a pessoa mais importante da tua vida te diz isto?", continua.

66 fotografias de Manuel Luís Goucha para festejar o seu 66.º aniversário
66 fotografias de Manuel Luís Goucha para festejar o seu 66.º aniversário
Ver artigo

Mas a conversa depressa foi levada para outros temas, como a altura em que Cristina Ferreira trocou a SIC pela TVI. Recordando os momentos por que ambos passaram durante o "Você na TV!", a apresentadora diz que foi aí que fizeram "de tudo". Quando questiona o colega sobre se, na altura da saída da TVI, Goucha sabia exatamente o que ia acontecer nas audiências, o apresentador é assertivo.

"Sempre achei que irias ganhar. Sempre. E isso foi uma luta enorme porque estive durante vários meses sozinho a dizer que tudo ia mudar. Só que, à minha volta, todos pareciam desvalorizar. Desvalorizaram completamente e diziam que não iria haver problema nenhum. E o certo é que, na verdade, aconteceu tudo aquilo que disse que iria acontecer", conta.

Questionado sobre se perder consecutivamente nas audiências terá, de alguma forma, feito mossa, Goucha nega. "Perder não fez mossa em mim. Como limpo da memória tudo aquilo que me possa magoar, não fez mossa. Estou habituado a perder, mas a vida é isso", revela.

Como seria a campanha de Cristina Ferreira na corrida às presidenciais? Os especialistas respondem
Como seria a campanha de Cristina Ferreira na corrida às presidenciais? Os especialistas respondem
Ver artigo

E continua: "Foi uma aprendizagem maravilhosa. Nunca deixei de ser feliz, mesmo perdendo. Mas claro que tínhamos de perder. Andámos, durante vários meses, aos papéis [com a saída da apresentadora para a SIC]. Mas foi uma prova de resiliência. Tive um dia muito terrível na altura, que foi a entrevista ao Mário Machado, porque, sei, não houve enquadramento, e isso foi aproveitado publicamente. Foi muito difícil."

De olhos postos no futuro, Manuel Luís Goucha terá um novo programa que chamar-se-á apenas "Goucha". "Quando me disseste que iria passar para as tardes, disse que era ótimo. Claro que será o mesmo Goucha de sempre, mas noutro horário e com outro formato. Vendeste-me bem o conceito porque sabes que gosto de conversar, por isso só podia estar entusiasmado", diz.

E conclui sobre a sua relação com Cristina Ferreira. "Sempre gostei muito de ti. Na altura [no início do 'Você na TV!'], eras muito diferente daquilo que és hoje. Tiveste de te impor à custa do trabalho e não estavas tão resolvida relativamente a certos assuntos como passaste a estar agora. Acompanhei-te fragilidades que só nós os dois sabemos. Tu acompanhaste outras minhas. Viveste mais comigo em 16 anos do que eu vivi com o Rui [o atual companheiro do apresentador]."

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.