O podcast de Meghan Markle continua a dar que falar. Lançado em agosto deste ano, Archetypes é encabeçado pela duquesa de Sussex, que aborda vários temas em diálogo com convidados. No mais recente, criticou o guru de Cristiano Ronaldo, Jordan Peterson.

Acabou o luto pela rainha Isabel II. Meghan Markle regressa ao trabalho com novo episódio de podcast
Acabou o luto pela rainha Isabel II. Meghan Markle regressa ao trabalho com novo episódio de podcast
Ver artigo

Neste quinto episódio da produção feita em parceria com o Spotify, Meghan tem uma "conversa vulnerável" sobre como a palavra "louca" é usada para diminuir a credibilidade das mulheres. Entitulado "A Descodificação da Loucura", este segmento de 55 minutos tem como convidadas Deepika Padukone, Jenny Slate e Constance Wu.

Além de, juntas, examinarem a origem da palavra "histeria", dão exemplos do uso errado do adjetivo "louca". E é aí que Meghan Markle critica o psicólogo clínico de 60 anos Jordan Peterson pela afirmação "Acho que os homens não conseguem controlar as mulheres loucas". 

Jordan Peterson esteve recentemente com Cristiano Ronaldo depois de o craque português ter entrado em contacto com ele. "Ele queria, sobretudo, falar sobre o que quer para o futuro e também sobre alguns obstáculos que está a enfrentar neste momento", disse o psicólogo, citado pelo jornal "O Jogo".

De modo a fortalecer a argumentação durante o episódio, a duquesa de Sussex afirma que ela própria já foi apelidada de "louca" e de "histérica". "Chamar alguém de louco ou de histérico descarta as suas experiências e diminui o que sentem", crê, adiantando que se tratam de rótulos usados "para diminuir as mulheres", tal como cita o site "GB News".

"Continua até ao ponto de que alguém que tenha sido rotulado por este adjetivo vezes suficientes passa a acreditar que efetivamente não está bem ou, pior, ao ponto de os verdadeiros problemas serem ignorados", considera a mulher do príncipe Harry.

Além de usar a afirmação do guru de Cristiano Ronaldo, Meghan refere ainda um trecho da série de comédia "How I Met Your Mother", onde a personagem Barney, interpretada por Neil Patrick Harris, cria um gráfico para explicar que se uma mulher é maluca até certo ponto, tem de ser tão atraente quanto isso.

"Tenho uma opinião vincada acerca desta palavra, este rótulo de loucura que é atribuído tão casualmente e que tem causado danos à nossa sociedade e às mulheres em todo o lado", continua, fornecendo outros exemplos ao longo do episódio, que foi lançado esta terça-feira, 11.

"Desde relacionamentos a famílias a serem despedaçados, as reputações destruídas e as carreiras arruinadas devido ao estigma relativo a esta palavra. Tem ainda um efeito silenciador, que assusta as mulheres que lidam com problemas de saúde mental reais, e que passam a estar sossegadas, reprimindo-se durante demasiado tempo", acredita.

No novo podcast de Meghan Markle, a duquesa de 41 anos promete ser a sua versão mais real e mostra-se entusiasmada por surgir "sem filtros". "Provavelmente o eu que nunca conheceram, principalmente nos últimos anos, onde tudo é visto através das lentes dos media", explicou, citada pela "People". O podcast pode ser ouvido no Spotify.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.