Qual barrica ou pipa à moda portuguesa — este vinho fez o período de estágio no espaço, onde passou 14 meses a maturar. O resultado chegou à terra em janeiro de 2021 e será agora vendido num leilão em Londres como Petrus 2000. As 12 garrafas de vinho de Bordéus, em França, lançadas para o espaço a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) contribuíram para um estudo privado cujo objetivo era perceber o comportamento do vinho em órbita e compará-lo com a mesma edição de Petrus 2000 que estagiou em terra.

Os investigadores da startup Space Cargo Unlimited analisaram ambos os vinhos, bem como um grupo de provadores. Resultado? "É difícil para mim dizer se foi melhor ou pior. Mas foi definitivamente diferente", revelou à BBC Jane Anson, um dos sortudos que testou o vinho que será vendido por milhões. "Os aromas eram mais florais e mais fumados, coisas que acontecem de qualquer forma ao Petrus à medida que envelhece", acrescentou o jornalista e autor do livro sobre vinho "Inside Bordeaux".

Se comprar um vinho alentejano, prova cinco. É assim em maio na Rota dos Vinhos do Alentejo
Se comprar um vinho alentejano, prova cinco. É assim em maio na Rota dos Vinhos do Alentejo
Ver artigo

Mas tudo neste vinho é em grande. Além de a leiloeira Christie’s esperar vendê-lo por uma quantia tão astronómica quanto as suas características, cerca de 830 mil euros, vai ser entregue numa espécie de mala que levou mais de 900 horas de trabalho até estar acabada.

Petrus 2000
Mala para o Petrus 2000 do Les Ateliers Victor, em Paris créditos: instagram

O vinho colocado na mala que será entregue a quem der mais no leilão irá ainda acompanhado de outra garrafa Petrus 2000 que ficou em terra, bem como de um saca-rolhas feito de meteorito.

O Les Ateliers Victor, em Paris, responsável pelo desenho da mala, brincou com o vinho espacial ao finalizar com "may the force be with you!" ("que a força esteja contigo") — a mítica frase da saga "Star Wars" — uma mensagem em que mostra entusiasmo por fazer parte do lançamento da Petrus 2000. "Mal podemos esperar para ver o que acontece a esta garrafa e quem terá o privilégio de a provar (se ele ou ela se atrever a abri-la!)", escreveu o atelier no site.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.