Gruyère é um tipo de queijo duro, cuja receita, que inclui 400 litros de leite cru, fresco, tem já vários anos e perdurou na história para esta sexta-feira, 6 de março, ser distinguido como o melhor queijo do mundo, numa competição que reuniu um recorde de mais de 3 mil candidaturas.

No final, 55 juízes provarem o queijo gruyére, que pode chegar aos 35 quilogramas por unidade — avaliando o aroma, sabor e textura — e decidiram nomeá-lo como o melhor do mundo. Esta é já a segunda distinção do queijeiro Michael Spycher, de Berna, Suíça, autor de outra receita vencedora em 2008. Este ano, em segundo, ficou também para outro queijo suíço fabricado pela Hardegger Kase AG.

Os queijos do país marcaram esta edição do Concurso Campeão Mundial de Queijo, que acontece a cada dois anos, derrubando o primeiro lugar ocupado por um queijo francês no concurso de 2018. Os queijos são avaliados rigorosamente por um painel de juízes de 19 nações, entre os quais estão classificadores de queijo, compradores de queijo, professores de ciências lácteas e investigadores.

Ainda que o cheiro dos queijos seja forte, não foi o suficiente para afastar o risco de coronavírus (COVID-19). Trinta pessoas de  uma universidade do Japão tiveram que cancelar a participação na competição, de acordo com o jornal "The Independent".

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.