O restaurante Cotorinho é bastante conhecido pelas francesinhas e, ao jantar, nem é preciso levar a ementa até à mesa, uma vez que os pedidos já são feitos de cor: francesinha à Vila Real. Mas agora, ao almoço, também é possível pedir os novos pães Gusto, traduzido do italiano gosto, que, no fundo, têm a mesma essência das francesinhas: alimentar o corpo com comida de conforto.

É esse o papel dos pães de fabrico próprio, que misturam o que já se oferecia no Cotorinho e influências italianas, bem como portuguesas.

Sexy Sea. O novo restaurante lisboeta traz-lhe peixe de todas as formas, do sushi ao de conforto
Sexy Sea. O novo restaurante lisboeta traz-lhe peixe de todas as formas, do sushi ao de conforto
Ver artigo

"É muito parecido com uma calzone, mas não é bem. É mais uma massa tipo pão", explica André Teixeira, chef e proprietário do Cotorinho e também responsável pela nova ideia denominada Gusto, à MAGG. Ao mesmo tempo, no que diz respeito ao formato, é semelhante ao pão com chouriço, com a diferença de que "quando vai ao forno leva gema de ovo para dar aquele toque mais dourado".

O resultado é um pão fechado e servido ainda a fumegar do forno, que o deixou crocante por fora. Já por dentro, o recheio resulta de combinações irreverentes que são, para já, cinco (7,50€ cada): Gusto de burrata, que leva também presunto e geleia de abóbora; Gusto de frango e natas, com cogumelos, bacon, queijo mozzarella, cheddar e orégãos; Gusto de frango, com tomate, molho cotorinho, cheddar, bacon e cebola frita; Gusto americano, versão com molho cotorinho, hambúrguer, cheddar e bacon; e, para rematar, há ainda um Gusto de Nutella e avelã que é servido de duas formas.

"Temos a versão que mandamos para casa, que é fechada. E depois temos outra versão no restaurante. Basicamente é um pão aberto, em forma de círculo. A Nutella está no centro quase como se fosse uma piscina e depois colocamos uma bola de gelado de baunilha por cima da Nutella e polvilhamos com avelã", descreve sem dó nem piedade dos mais gulosos.

Para já, será o único Gusto doce, mas o mesmo não se pode dizer dos salgados, uma vez que a ideia é lançar um novo todas as semanas e para as próximas já está a ser pensado um novo Gusto semelhante ao americano, "mas feito com frango e cebola frita", outro com cachaço de porco estufado em slow cooker em que "basicamente aquela carne cheia de molho vai desfazer-se toda na boca", diz o chef, e ainda está a ser pensado um vegetariano, avança.

De todos, o Gusto americano é o que tem tido maior sucesso, talvez porque além de juntar ingredientes já conhecidos no Cotorinho, que além de francesinhas serve bifes e hambúrgueres, leva um molho especial. "O americano é a junção de vários ingredientes que temos no restaurante normal — estamos a falar de hambúrguer, queijo cheddar, bacon e molho à Cotorinho", diz André que explica, sem revelar demasiado, que a base deste molho é tomate, natas e manteiga.

"O que é que este molho vem alterar no Gusto? Vem dar-lhe vida. Porque podemos rechear com o que quisermos, mas tem que ter o molho que vai unir aqueles os ingredientes todos e fazê-los sobressair no pão", remata.

Pode provar ao almoço, de terça a sexta, no restaurante Cotorinho, em Belas (R. Falcão Rodrigues 18), levar em take away ou pedir para entregar em casa através das plataformas Bolt Food, Uber Eats e Glovo.

No que diz respeito à Uber Eats, em breve pode vir a alojar o Gusto, como marca própria. "Estamos a tentar abrir uma loja virtual só com esta marca para retirá-la de dentro da marca Cotorinho", refere André Teixeira que pretende separar o novo conceito das emblemáticas francesinha à Vila Real, uma receita familiar de Trás-os-Montes.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.