É difícil imaginar os filmes de "Harry Potter" sem Rupert Grint e Emma Watson, os atores que deram vida a Ron e Hermione, mas a verdade é que os dois estiveram muito próximos de abandonar a saga. Esse é um dos principais temas abordados no episódio especial "Regresso a Hogwarts", que se estreia este sábado, 1 de janeiro, na HBO Portugal, e que põe os atores principais a analisar o impacto da história no cinema e nas suas vidas.

Terá sido em 2007, nos momentos anteriores às filmagens do quinto filme da saga, "Harry Potter e a Ordem da Fénix", que Emma Watson ponderou sair devido à pressão e à sensação de solidão que começou a sentir à medida que passou a estar no centro das atenções. "Recordo-me de que, a certa altura, a Emma não tinha a certeza sobre se quereria voltar ou não à saga", diz David Yates, o realizador do filme.

Há a geração “Star Wars”. Mas também já há a geração "Harry Potter"
Há a geração “Star Wars”. Mas também já há a geração "Harry Potter"
Ver artigo

A insegurança foi partilhada por Rupert Grint que, no episódio especial, falou pela primeira vez disso com a colega. "Lembro-me de que tu chegaste a considerar abandonar os filmes. Nunca falei contigo acerca disto." Emma Watson explica as razões, atribuindo um peso considerável à pressão que foi sentido. "Creio que estava com medo. Não sei se alguma vez chegaste a sentir aquela sensação de te encontrares num momento de viragem e que, a partir daquela instância, estavas a assumir um compromisso para sempre."

Num momento intimista e de grande emoção, Rupert Grint reviu-se naquelas palavras e explicou o que sentiu na altura. "Houve momentos em que pensei em como é que poderia vir a ser a minha vida se, simplesmente, decidir sair [da saga] de um momento para o outro", refere ao longo de "Regresso a Hogwarts".

E ainda que os três atores tenham começado a trabalhar juntos muito novos, terá sido Emma Watson a sofrer mais, segundo explica Tom Felton, que nos filmes dá vida a Draco Malfoy. "Acho que as pessoas se esqueceram, ou não têm noção, do que ela teve de enfrentar. Enquanto o Daniel [Radcliffe] e o Rupert [Grint] se tinham um ao outro, e eu tinha os meus amigos, a Emma, além de ser mais nova, estava sozinha [nos bastidores]", explica.

Apesar disso, Emma Watson decidiu ficar, mas diz que não foi convencida por ninguém.

"Os fãs foram fundamentais neste aspeto porque queriam, de forma genuína, que tudo corresse bem para nós. E isso fez com que nos apoiássemos uns aos outros. O quão fantástico é isso?", refere.

Um especial de "Harry Potter" sem qualquer menção a J.K. Rowling

Apesar de o episódio especial reunir algumas das figuras que ajudaram a dar corpo ao universo mágico criado por J.K. Rowling na literatura, a autora de 56 anos quase não é mencionada ao longo de todo o formato. O único momento em que surge, faz uso de imagens de arquivo, de 2019, em que a própria descreve o impacto da história que criou na literatura e no cinema.

Em causa está o facto de J.K Rowling ter, nos últimos anos, adotado posições discriminatórias e transfóbicas, levando os principais atores da série — como Radcliffe, Grint e Watson — a emitir comunicados individuais, demarcando-se das palavras de Rowling e demonstrando o seu apoio a toda a comunidade trans.

A decisão dos produtores de "Regresso a Hogwarts", assim, foca-se na ideia de tentar demonstrar como é que os filmes foram criados, e de que forma mudaram a indústria cinematográfica e a forma de se fazer blockbusters, em vez de dar peso à visão de Rowling na criação dos livros.

Apesar disso, não há qualquer comentário oficial por parte da HBO Max, a plataforma de streaming que pagou pelo episódio especial, acerca dos motivos para a ausência da autora. Os críticos televisivos, no entanto, não têm dúvidas.

"A sua importância para a história é profundamente minimizada [neste episódio]. Até um muggle seria capaz de perceber que a ausência da autora tem qualquer coisa que ver com as recentes posições públicas que a própria tem tomado acerca da comunidade trans", diz Ed Power, do "The Telegraph".

Apesar disso, são vários os atores que falam do impacto dos livros de Rowling nas suas vidas. Um deles é Daniel Radcliffe, que deu vida ao próprio Harry Potter, e que explica que, na altura em que os livros ganharam popularidade, "já se falava do fim dos livros e dos hábitos de leitura", e que, nesse aspeto, o fenómeno contribuiu para que houvesse alguém a ler.

"Regresso a Hogwarts", o episódio especial da HBO Max, chega à HBO Portugal no primeiro dia de 2022 — já este sábado, 1 de janeiro.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.