Para não destoar do caos inesperado que tem sido este 2020, também os Emmys tiveram de se adaptar às normas anti-bicho da COVID-19. As galas que até aqui enchiam anfiteatros de glamour e luxo, este ano deram lugar a um evento à distância e estritamente virtual. Conduzida pelo apresentador e humorista Jimmy Kimmel, a emissão trouxe algumas novidades — a começar pelo uso de fatos de proteção no momento de entrega dos prémios aos nomeados, espalhados pelo mundo inteiro e em direto através de transmissões em vídeo.

No total, foram 130 as câmaras distribuídas por cidades como Nova Iorque, Los Angeles, Londres ou Tel Aviv para que, de forma a contornar a distância imposta pelo novo coronavírus, os atores pudessem ser vistos a receber os seus prémios e a discursar. Estas câmaras funcionaram de duas formas: controladas remotamente ou pelos próprios nomeados. As probabilidades de haver confusão, portanto, eram elevadíssimas.

No entanto, não houve e a gala decorreu sem complicações.

A cerimónia arrancou com Jimmy Kimmel a subir ao palco ao som de risos. Oi, como disse? Plateia? "Bem-vindos aos Pandemmys", começou por anunciar para uma plateia repleta de convidados. Mas era tudo a fingir e as imagens dos convidados diziam respeito à gala do ano anterior, quando a realidade da COVID-19 só pertencia os universos mais grotescos da ficção.

Os fatos hazmat e o incêndio para matar os germes

"Porquê fazer uma gala dos Emmys no meio de uma pandemia?", começa por perguntar. A resposta era só uma: porque é divertido e agora, mais do que nunca, todos precisamos de nos distrair.

Depressa a plateia falsa desapareceu e as câmaras mostraram o que todos sabiam. A sala estava inteiramente vazia e nos lugares estavam apenas as figuras dos nomeados em forma de cartão. Exceto o de Jason Bateman (de "Ozark") que surgiu fisicamente para brincar com o apresentador antes de voltar para os bastidores.

"Jason, não podes estar aqui. Sabes perfeitamente o que está a acontecer no mundo inteiro", explicou Jimmy Kimmel. "Não faz mal, lavo sempre as mãos. Queres cheirar? Cheiram a jardim", respondeu o ator. "Ok, podes ficar, mas só se te rires das minhas piadas", pediu o apresentador e, em poucos segundos, Jason Bateman estava de regresso aos bastidores marcando, assim, o primeiro momento humorístico da noite.

A primeira categoria de vencedores foi apresentada por Jennifer Aniston, em estúdio, a mais de dois metros de distância de Jimmy Kimmel.

Os dois desinfetaram as mãos e queimaram o envelope (e um caixote de lixo) com o nome do vencedor na categoria de Melhor Atriz em Série de Comédia, para garantir que todos os germes eram exterminados. O prémio a Catherine O'Hara, a primeira vencedora da noite, foi entregue por uma pessoa da produção vestida com um fato de proteção hazmat.

As várias vitórias de "Schitt's Creek"

Embora o objetivo fosse distrair-nos da COVID-19, a pandemia já faz parte das nossas vidas e, por isso, foi representada não só na forma como a gala estava a decorrer — à distância —, mas também no tipo de piadas usadas.

"Dizem que o riso é o melhor remédio que existe. No entanto, ultimamente temos descoberto que não é bem assim e que até propaga o vírus de forma mais agressiva. Por isso, ponham as vossas máscaras no rosto e mantenham-se confortáveis para o que vem aí", referiu o apresentador antes de passar ao anúncio do segundo vencedor da noite. Esse foi Eugene Levy pela sua prestação em "Schitt's Creek".

A reação do ator? "Vêem? Eu disse-vos que era bom", atirou, arrancando gargalhadas da família e dos colegas. Poucos minutos mais tarde, o filho, Daniel Levy, viria a assumir o microfone para receber o prémio de Melhor Argumento de Comédia pela escrita da mesma produção.

"Succession". 5 razões por que deve começar já a ver a série que arrasou nos Emmys
"Succession". 5 razões por que deve começar já a ver a série que arrasou nos Emmys
Ver artigo

"Tenho a agradecer ao meu pai por me ter dado rédea livre para fazer esta série, numa altura em que não tinha qualquer experiência em escrita para televisão. Olhando para trás, vejo o quão alucinante foi essa ideia da tua parte", brincou.

Mais tarde, Levy voltaria ao microfone para receber o prémio de Melhor Realização e Melhor Ator Secundário — fazendo de "Schitt's Creek" uma das séries mais premiadas da noite. A série voltaria a ser premiada novamente na categoria de Melhor Atriz Secundária em Série de Comédia e em Melhor Série de Comédia.

"Não sei quanto a vocês, mas já estou farto dos canadianos", brincou Jimmy Kimmel, referindo-se aos sete Emmys arrecadados por "Schitt's Creek", uma produção do Canadá. Uma hora depois do arranque da cerimónia, a série, que em Portugal está inteiramente disponível na HBO, era um dos assuntos mais comentados no Twitter.

Na categoria de Melhor Atriz em Minissérie, Regina King ganhou por "Watchmen" e no, seu discurso apelou, ao voto americano. Minutos depois, era transmitido o primeiro anúncio publicitário do candidato democrata Joe Biden.

A promoção da tolerância contra o ódio

A cerimónia foi perdendo gás à medida que os vencedores foram sendo anunciados e os discursos foram surgindo — alguns deles reforçando o contexto político atual nos EUA, com Mark Ruffalo (que ganhou o Emmy de Melhor Ator por "I Know This Much Is True") a pedir "amor" e "tolerância" para combater o ódio que se vai sentido pelo país.

O momento mais estranho da noite, à falta de outros acontecimentos verdadeiramente impactantes, aconteceu quando Reese Witherspoon e os restantes colegas de "Little Fires Everywhere" decidiram fazer uma contagem decrescente para o fim do ano.

A explicação? "Estamos prontas para pôr um ponto final a este ano [referindo-se à pandemia]", explicou Witherspoon. Foram do dez até ao zero para, no final, ficar um silêncio constrangedor com Jimmy Kimmel a desejar feliz ano novo a todos.

De volta aos prémios, "Watchmen" chegou às 11 estatuetas com um dos prémios principais da noite — o de Melhor Minissérie. Damon Lindelof, um dos responsáveis por adaptar a novela gráfica de Alan Moore, agradeceu-lhe a inspiração mesmo que este sempre tenha sido contra quaisquer reproduções da sua obra por terceiros. Momentos depois, uma pausa breve para o In Memoriam, o momento de homenagem a todas as figuras da indústria do audiovisual que morreram em 2020.

De "Succession" a "The Morning Show". Onde ver todas as grandes séries nomeadas para os Emmys
De "Succession" a "The Morning Show". Onde ver todas as grandes séries nomeadas para os Emmys
Ver artigo

E de repente, um ponto positivo na falta de plateia: a inexistência de palmas que provocavam momentos constrangedores ao ser ensurdecedoras sempre que figuras mais conhecidas surgiam, mas que cessavam quando outras, com menor destaque mediático, eram homenageadas no ecrã.

Terminado o momento de homenagem, Jennifer Aniston, Lisa Kudrow e Courtney Cox surgiram em direto dando vida às suas personagens da sitcom "Friends" — Rachel, Phoebe e Monica, respetivamente. Esperava-se que o resto do elenco pudesse aparecer para uma pequena reunião, há muito esperada, mas o último convidado a surgir junto das três atrizes foi Jason Bateman.

Pois. Não percebemos.

No final, "Succession" tornou-se na última grande série da noite a tornar-se vencedora ao arrecadar vários prémios, incluindo o de Melhor Série de Drama, o de Melhor Argumento e o de Melhor Ator em Série de Drama por Jeremy Strong.

 Conheça a lista dos principais vencedores da mais recente edição de entrega dos Emmys.

Melhor Atriz em Série de Comédia

  • Catherine O'Hara ("Schitt's Creek")

Melhor Ator em Série de Comédia

  • Eugene Levy ("Schitt's Creek")

Melhor Argumento de Comédia

  • Daniel Levy ("Schitt's Creek")

Melhor Realização de Comédia

  • Andrew Cividino ("Schitt's Creek")

Melhor Ator Secundário em Série de Comédia

  • Daniel Levy ("Schitt's Creek")

Melhor Atriz Secundária em Série de Comédia

  • Annie Murphy ("Schitt's Creek")

Melhor Série de Comédia

  • "Schitt's Creek"

Melhor Atriz em Minissérie

  • Regina King ("Watchmen")

Melhor Ator em Minissérie

  • Mark Ruffalo ("I Know This Much is True")

Melhor Argumento em Minissérie

  • Damon Lindelof ("Watchmen")

Melhor Realização em Minissérie

  • Maria Schrader ("Unorthodox")

Melhor Ator Secundário em Minissérie

  • Yahya Abdul-Mateen ("Watchmen")

Melhor Atriz Secundária em Minissérie

  • Uzo Aduba ("Mrs. America")

Melhor Minissérie

  • "Watchmen"

Melhor Ator em Série de Drama

  • Jeremy Strong ("Succession")

Melhor Atriz em Série de Drama

  • Zendaya ("Euphoria")

Melhor Argumento em Série de Drama

  • Jesse Armstrong ("Succession")

Melhor Realização em Série de Drama

  • Andrij Parekh ("Succession")

Melhor Ator Secundário em Série de Drama

  • Billy Crudup ("The Morning Show")

Melhor Atriz Secundária em Série de Drama

  • Julia Garner ("Ozark")

Melhor Série de Drama

  • "Succession"

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.