Em 2018, a comédia romântica "Crazy Rich Asians" ("Asiáticos Doidos e Ricos") abria portas em Hollywood a uma nova era na representatividade, com um elenco de atores exclusivamente asiático. A história retrata a vida alucinante da alta sociedade de Singapura e a tentativa de uma jovem sino-americana se encaixar nas tradições e critérios de exigência da família do namorado, herdeiro de uma fortuna multimilionária.

Pelo meio, há muitos códigos de conduta, tradições, crenças e hábitos completamente desconhecidos para os ocidentais, além de muita opulência, festas multimilionárias e um desfilar ininterrupto de vestidos de alta costura.

Agora, a Netflix tenta rentabilizar esse filão com o reality show "Bling Empire" que, à semelhança de "Crazy Rich Asians" mostra a vida faustosa, cheia de exageros, gastos supérfluos e problemas de primeiro mundo de um grupo de asiáticos a viver em Los Angeles.

A personagem principal do reality show, o manequim Kevin Kreider, é uma espécie de narrador da trama. Nascido na Coreia do Sul, foi adotado por um casal norte-americano e nunca conheceu os pais biológicos. Apesar de não percebermos bem como, Kevin (que não é nem rico nem inteligente) é amigo de casa de Kane Lim, um multimilionário singapurense cuja família tem negócios ligados ao ramo imobiliário, e que se dedica (essencialmente) a comprar roupas de alta costura.

Kane é o elo de ligação entre as várias personagens de "Bling Empire", que se encontram em ocasiões tão díspares como jogos de bowling, eventos solidários ou jantares em casa da misteriosa Ana Shay, de ascendência russa e japonesa e cuja fortuna está ligada à produção de armamento.

A socialite Christine Chiu (e o seu simpático marido, o cirurgião plástico Dr. Chiu), Cherie Chan (ex-cantora chinesa, cujo namorado, Jessey, passa toda a temporada sem a pedir em casamento, apesar de todas as indiretas), a dj Kim Lee (que é um impressionante clone de Kylie Jenner), a blogger Jamie Xie, o cabeleireiro Guy Tang e a empresária Kelly Mi Li compõem este bizarro grupo de amigos.

"Bling Empire" não é só drama de malas, sapatos, champanhe e viagens em primeira classe. Há também temas sérios, como a procura de Kim Lee pelo pai, que a abandonou quando era criança, e a relação tóxica de Kelly Mi Li com o Andrew Gray (ou, como é descrito pela própria namorada, o Power Ranger vermelho).

"Bling Empire" está disponível na Netflix.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.