Em junho de 2015, chegava a Portugal a primeira plataforma de streaming paga. A Netflix, a primeira a revolucionar a distribuição de conteúdos televisivos digitais, revolucionaria hábitos de consumo e a própria indústria.

Três anos antes, em setembro de 2012, nascia aquela que podemos considerar ser a primeira plataforma de streaming made in Portugal: a RTP Play. Seja através do site, seja através da aplicação, a plataforma online da estação pública de rádio e televisão disponibiliza centenas de conteúdos, que vão desde os documentários aos filmes, passando pelos grandes formatos de entretenimento que marcam gerações. Os noticiários e os talk shows diários também lá estão. Ah, e o melhor disto tudo é que é gratuita.

Sugerimos-lhe 10 conteúdos disponíveis da RTP Play para que possa rir à gargalhada, pensar ou apenas recordar formatos de ficção televisiva como "Não És Homem Não és Nada", série na qual Alexandra Lencastre dava vida a Vitória, a diretora de uma revista que, de masculina, passa a feminina e tem de ser feita apenas com uma redação de homens.

"Último a Sair"

Agora que entrámos na contagem decrescente para a estreia do novo programa de Bruno Nogueira "Princípio, Meio e Fim", nada como rever o reality show falso de 2011, que contou com protagonistas como Luciana Abreu, Batatinha, Roberto Leal, Gonçalo Waddington ou Rui Unas. Veja aqui

"Os Contemporâneos"

"Vais mas é trabalhar!". Que atire a primeira pedra quem, ali por volta de 2008, nunca repetiu até à exaustão o bordão da personagem "O Chato", interpretada por Nuno Lopes. Bruno Nogueira, Carla Vasconcelos, Dinarte Branco, Manuel Marques, Nuno Lopes, Nuno Markl e Eduardo Madeira compunham o elenco do programa de humor que teve três temporadas. Veja aqui.

"Odisseia"

E já que estamos a revisitar a carreira de Bruno Nogueira, sugerimos a indefinível série de humor que tinha o ator e Gonçalo Waddington como protagonistas de uma viagem de autocaravana, que é também um guião elaborado com a ajuda de Tiago Guedes. Veja aqui

"Fugiram de Casa de Seus pais"

Bruno Nogueira e Miguel Esteves Cardoso conversam sobre temas do quotidiano no conforto da sala do escritor. O formato, emitido em 2017 na RTP, foi o último projeto televisivo do ator em quatro anos. Veja aqui 

"Não és Homem Não és Nada"

Alexandra Lencastre é Vitória, diretora de uma revista masculina que passa a revista feminina. A sitcom de 1999 conta com a atriz no papel principal e uma redação cheia de "machões jornalistas", interpretados por João Lagarto, Joaquim Monchique e Pedro Alpiarça. Veja aqui 

"Herman Enciclopédia"

Considerado por muitos o melhor programa de humor da televisão portuguesa (argumentamos que possa disputar o pódio com "O Tal Canal"), "Herman Enciclopédia" gravou na memória coletiva frases como "Eu é que sou o presidente da junta" ou "Ó meuz amigozzzz, não havia nexexidaade". O formato emitido em 1997 e 1998 deu a conhecer ao País nomes agora consagrados humor, como Nuno Markl, Eduardo Madeira e Maria Rueff. Veja aqui. 

"Os Boys"

Série de comédia política criada por Mário Botequilha e Vítor Elias, exibida em 2016, sobre os assessores políticos dos gabinetes ministeriais e da oposição e da conivência destes com interesses económicos e políticos que determinam a forma como as decisões são tomadas. Veja aqui 

"Casa do Cais"

A websérie de comédia, nascida do projeto RTP Lab, narra a história de Ema, que deixa a casa dos pais no Entroncamento e passa a viver em Lisboa, atrás dos seus sonhos e de algum trabalho que lhe permita sobreviver. Lara, Jay e Alex esperam-na em Lisboa num quotidiano atribulado, apaixonante e inesperado. É a primeira (e até ao momento única) série LGBT feita em Portugal. Veja aqui

"Mar, a Última Fronteira"

Série de seis episódios que relata as experiências de um grupo de mergulhadores, liderada pelo cineasta subaquático Nuno Sá, a explorar o Mar de Portugal de Norte a Sul, incluindo os arquipélagos dos Açores e Madeira. Veja aqui

"Os Últimos dias da PIDE"

Documentário do jornalista Jacinto Godinho, realizado pelos 40 anos do 25 de Abril. O golpe teve epicentro no Terreiro do Paço e no Largo do Carmo, sob a batuta do capitão Salgueiro Maia. Mas houve vários palcos do golpe militar. Na Rua António Maria Cardoso, sede da temida e odiada PIDE/DGS travou-se uma batalha, essa sim, digna de um fim de regime, com tiroteio, mortes, feridos, massacres, cerco e drama. Veja aqui

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.