Foi uma das séries de maior sucesso produzidas pela RTP1 e fez os portugueses acreditarem que ainda é possível fazer boa ficção nacional que fuja dos padrões repetidos das novelas. "Conta-me Como Foi" estreou-se em 2007 e foi um sucesso de audiências desde a primeira temporada.

O último episódio foi para o ar em 2011 e não se pensava num eventual regresso até que no, início deste ano, o diretor de programas da RTP, José Fragoso, disse ao "Público" que não só ia voltar como passaria a retratar a década de 80. Esta quinta-feira, 19 de setembro, chegou a confirmação: a série faz parte da nova grelha da RTP: e deverá estrear-se ainda em 2019, no início de dezembro.

Nesta sexta temporada, que continua a ter no elenco nomes como Rita Blanco, Miguel Guilherme e Luís Ganito, os portugueses vão poder continuar a acompanhar o quotidiano da família Lopes, bem como o panorama histórico, político e social de Portugal. A série retoma a história nos anos 80, quando a família já está a viver numa nova casa.

As 50 piores séries de televisão de sempre, de acordo com os críticos
As 50 piores séries de televisão de sempre, de acordo com os críticos
Ver artigo

Ainda ao "Público", José Fragoso explicou que existem "muitos ganchos possíveis" para continuar a história, "desde a entrada de Portugal na CEE, ao boom da música portuguesa, ou ao contexto político muito vibrante em Portugal”.

Nova grelha: o que a RTP tem reservado para a próxima temporada televisiva

Para além do regresso de "Conta-me Como Foi", a estação pública faz uma grande aposta na ficção nacional. Ainda em setembro, no dia 28, a RTP1 estreia a série "Sul", protagonizada por Ivo Canelas, e outubro arranca com o início de "Luz Vermelha", uma produção centrada no mundo da prostituição.

"Terra Nova", outra série nacional, chega em novembro, e aborda a pesca de bacalhau nos anos 30. Existem ainda mini-séries em carteira, incluindo uma baseada no filme "A Herdade", o candidato português à nomeação de Melhor Filme Estrangeiro, nos Óscares.

Fora da ficção, Filomena Cautela deve regressar ao ecrã com o popular talk show "5 para a Meia Noite", mais perto do final do ano. Antes disso, a apresentadora vai estrear um novo formato nas noites de sábado, a partir de 12 de outubro, o concurso "Jogo de Todos os Jogos".

Por volta da mesma altura, as noites de domingo voltam a ser ocupadas pelo programa de talentos "The Voice Portugal", conduzido por Catarina Furtado e Vasco Palmeirim, e que este ano conta com dois novos mentores: Diogo Piçarra e António Zambujo juntam-se à equipa, depois da saída de Mickael Carreira e Anselmo Ralph.

O canal continua a apostar em Vasco Palmeirim: para além do "The Voice Portugal" e de "Joker", que ainda se mantém em exibição, o apresentador de televisão vai ser a cara de "Alta Fidelidade", uma série de homenagem a grandes nomes da música portuguesa, ainda sem data de estreia anunciada.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.