A atriz Manuela Couto recordou, em entrevista ao "Alta Definição", o ataque de pânico que sofreu em em 2011 e que quase culminou num AVC. Esse episódio, explica, terá sido uma consequência direta do excesso de trabalho que tinha em mãos naquele momento.

"Lembro-me que estava a dirigir o departamento de elencos da Plural [produtora das novelas da TVI] durante a produção de uma novela e de uma peça de teatro. Essa forma de poder não me seduz. Não só não me seduz, como não me agrada e, por isso, já tinha pensado em acabar com isso há uns tempos. Não tinha conseguido até então, mas naquele dia acabou porque apanhei um susto", começou por explicar.

O alerta de que algo estava errado deu-se quando Manuela Couto percebeu que não fazia ideia do que estava a acontecer. "Deixei de perceber o que é que estava a fazer, em que parte da cena estava. E estava sempre a enganar-me. Olhava para as pessoas e embora soubesse onde estava, não sabia o que tinha feito. Senti uma angústia enorme e desmaiei", revela.

Dalila Carmo. "Todos os meses há alguém que me pergunta o que é que eu faço. E fico triste"
Dalila Carmo. "Todos os meses há alguém que me pergunta o que é que eu faço. E fico triste"
Ver artigo

E continua: "Fiz um pico de tensão, tinha o coração a 180 batimentos por minuto, essas coisas... O paramédico disse-me: 'Vamos pôr o oxigénio no máximo para evitar um AVC." Nesse momento, conta, viu a morte a aproximar-se.

"Fazia anos daquele momento a dois dias e pensei que já não ia fazer. Que não iria chegar lá. Desisti imediatamente do trabalho e nunca mais lá voltei, porque não podemos andar nesta corrida de uma forma tão intensa e stressada", conta. E isso foi o pretexto ideal para reestruturar a sua vida, já que foi a partir dessa altura que mudou "uma série de coisas".

Começou a fazer terapia num processo que, confessa, foi auto-imposto por uma questão de sobrevivência. "Há alturas em que ou mudamos ou entramos numa espiral de sofrimento e descompensação."

E atualmente diz-se uma pessoa mudada, mais focada em fazer perguntas do que em ter respostas. "O mais importante não é ter as respostas para as perguntas todas, porque essas vão surgindo e nunca nenhuma resposta é permanente. O importante, sim, é fazer perguntas porque isso faz-nos crescer", defende.

Manuela Couto integra atualmente o elenco da segunda temporada da novela da SIC "Nazaré".

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.