Fãs de séries, temos boas e más notícias. A boa é que há uma nova série da HBO para ver e que adapta ao ecrã o livro com o mesmo nome do escritor Stephen King. A má é que pode não agradar a quem achou que um dos últimos episódios da última temporada de "A Guerra dos Tronos" estava demasiado escuro nos ecrãs — independentemente de a série ser vista em televisão ou no computador.

Quem o diz é Alan Sepinwall, um dos mais reputados críticos americanos de televisão, que escreve na revista "Rolling Stone" que a série é "literalmente negra", na medida em que "há cenas que acontecem em condições próximas da escuridão total, tornando muita das linhas narrativas difíceis de seguir." Mas, neste caso, arriscamos dizer que nesta série a escuridão é feitio e não defeito.

15 séries que não pode perder no início de 2020
15 séries que não pode perder no início de 2020
Ver artigo

"The Outsider", a nova aposta da HBO para janeiro, conta com colaborações interessantes em cena, mas também fora dela. A começar pelo elenco, temos Ben Mendelsohn ("Bloodline"), Bill Camp ("The Night Of") e Jason Bateman que, além de representar, ainda realiza e produz vários episódios.

O argumento, esse é quase todo da autoria de Richard Price. O nome pode não ser-lhe muito familiar, mas se lhe dissermos que já escreveu para séries como "The Wire", "The Deuce" e "The Night Of", provavelmente é coisa para o deixar interessado e começar a contar as horas para chegar a casa e se sentar no sofá.

Mas porque nem só de elenco se faz uma série, é preciso que a história seja interessante e capaz de nos agarrar à televisão. Nesse aspeto, "The Outsider" cumpre e tem tudo aquilo que os fãs de séries policiais negras e obscuras tanto gostam. Ao longo de dez episódios, a história acompanha a figura de um investigador da polícia que se vê encarregue de encontrar o responsável pelo homicídio de uma criança de 11 anos.

Numa fase inicial das investigações, todas as pistas apontam para que tenha sido o treinador da equipa de basebol a assassinar a criança de forma macabra.

No entanto, e como não podia deixar deixar de ser neste tipo de histórias, os segredos mais obscuros de todos os envolvidos começam a ser revelados e nada é o que parece. Até porque o principal suspeito tem um álibi credível que o impede de ser o assassino.

Mas porque esta se trata de uma adaptação para a televisão, há algumas mudanças face ao livro de Stephen King que chegou às livrarias, em maio de 2018.

O local onde a história se passa é diferente na série

Ainda que a série, que se estreou em catálogo a 13 de janeiro, ainda só conte com dois episódios, já se conhecem algumas mudanças significativas na história.

A primeira tem que ver com o local onde a ação decorre. Enquanto no livro de Stephen King a história passa-se na cidade fictícia de Flint City, em Oklahoma, Estados Unidos, na série tudo acontece no estado de Georgia.

Stephen Dorff: "Estava numa fase muito negra da minha vida e 'True Detective' salvou-me"
Stephen Dorff: "Estava numa fase muito negra da minha vida e 'True Detective' salvou-me"
Ver artigo

Mas há mais: no livro, o treinador de basebol é detido durante um jogo assistido por mais de 1.500 pessoas. Na série, só estão cerca de 100 pessoas a ver.

O detetive principal da série não corresponde ao do livro

Ainda que tenham o mesmo nome, o mesmo propósito e o mesmo sentido de justiça, o detetive da série da HBO é muito diferente daquele que foi idealizado por Stephen King para o livro.

No livro, o detetive Ralph Anderson é apresentado como sendo encorpado e a primeira página do livro descreve-o estando sentado num banco e sendo "tão grande como uma casa". Também é muito alto e as suas pernas são descritas como "muito longas" ao longo da história.

Na série, o ator que dá vida à personagem é Ben Mendelsohn que, em termos físicos, é muito diferente da versão literária da personagem. Não só é mais magro, como tem uma estatura mediana e não muito alta.

A morte do treinador de basebol não é tão detalhada na série

Esta mudança tem muito que ver com a liberdade que Stephen King teve para descrever a morte do treinador de basebol no tribunal. Acusado de mutilar e assassinar uma criança de 11 anos, Terry é apresentado a um juiz quando o irmão da criança assassinada dispara sobre o treinador.

No livro, a primeira bala é no pescoço e não é mortal. Ralph, o detetive que o acompanha em tribunal, assiste ao ataque e, enquanto Terry se esvai em sangue no chão, tenta persuadi-lo a confessar. "Terry, vais morrer. Entendes-me? Ele apanhou-te e vais morrer", dando-lhe oportunidade de confessar o crime nos últimos minutos de vida. No entanto, Terry nega uma vez mais e reforça que está inocente.

Os casos mórbidos (e reais) que inspiraram a nova temporada de "True Detective"
Os casos mórbidos (e reais) que inspiraram a nova temporada de "True Detective"
Ver artigo

Na série, que provavelmente não teve como adaptar tanta informação numa única e rápida cena, Ralph Anderson não tenta uma última confissão. É Terry que nega a acusação voluntariamente antes de morrer.

A figura sobrenatural que aparece em momentos diferentes na história

No livro de Stephen King, há um momento em que o leitor é introduzido a uma figura estranha, de características sobre-humanas e assustadoras. Embora esta seja a figura que está envolvida nas mortes, só aparece na fase final da história do livro. Na adaptação da HBO, no entanto, aparece muito antes.

A ideia parece ser só uma: mostrar que ao contrário de séries como "True Detective" ou "The Night Of", este caso não se limita ao mundo real e há, na verdade, forças sobrenaturais que habitam este universo e podem ou não ser responsáveis pelos massacres que têm devastado a cidade onde a história de passa.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.