"Harry & Meghan: Escaping the Palace" ("Fuga do Palácio") estreou esta segunda-feira, 6 de setembro, no canal norte americano "Lifetime". O filme aborda as polémicas em que a família real britânica tem estado envolvida e está a gerar polémica entre os telespectadores.

Reconciliação à vista? Meghan prepara-se para regressar pela primeira vez ao Reino Unido
Reconciliação à vista? Meghan prepara-se para regressar pela primeira vez ao Reino Unido
Ver artigo

Logo no início, Meghan Markle surge debaixo de um carro capotado, numa recriação do acidente que provocou a morte da Princesa Diana, em 1997. Enquanto o local é cercado por paparazzi, Harry abre caminho entre a multidão para salvar a duquesa, que implora por ajuda, gravemente ferida.

Contudo, não passa de um pesadelo de Harry, que acorda, tranquilamente, ao lado de Meghan e do filho Archie, segundo o jornal britânico "Daily Mail". Como referiu na entrevista a Oprah Winfrey, o príncipe teme que "a história se repita" [referindo-se à princesa Diana] e ele não fosse capaz de "proteger a mulher e o filho das forças que podem ter contribuído para a morte prematura da mãe", tal como visto no trailer do novo filme.

"Desnecessário", "ofensivo", "de mau gosto", "abominável", "doentio" são as palavras de ordem nas redes sociais, reveladas pelo "Daily Mail". "Quando é que vão todos parar de lucrar com a princesa Diana? Deixem-na descansar em paz, pelo amor de Deus".

Ainda nos primeiros minutos do filme, os irmãos William e Harry discutem sobre o racismo que Meghan sofreu enquanto mulher birracial, quer por parte da imprensa britânica, quer de membros da família real, revela o "The Washington Post". Na conversa, William é assertivo: “O que causa problemas não é a cor, é a cultura. Meg é americana. Ela age mais como uma celebridade do que como realeza e não parece apreciar a diferença."

No Twitter, gerou-se uma onda de comentários contra William, que é acusado de ser "o pior" e o "racista vilão" da família real. De facto, ao longo do filme, o príncipe William menospreza a dor dos Duques de Sussex, o que faz com que seja apontado como vilão, assim como Kate Middleton.

Numa outra cena, a duquesa de Cambridge acusa Meghan de "como americana", prioritizar "a liberdade e o individualismo" e alerta-a: "Esta é a vida para a qual nos inscrevemos. Aqui, valorizamos a dignidade acima de tudo", enquanto mostra o anel de noivado que pertenceu à princesa Diana e com que William fez o pedido de casamento, em 2010. As falas das personagens foram divulgadas pelo "The Washington Post".

Apesar de terem passado uma imagem negativa dos duques de Cambridge, os produtores executivos garantem que esse não era o objetivo. "As pessoas nascidas nesta família estão numa situação impossível. Eles realmente não têm escolhas… A intenção nunca foi fazer William parecer um vilão, era mais vê-lo como uma pessoa numa espécie de conflito impossível", esclarece o jornal americano.

"O crescente isolamento e tristeza de Meghan, a deceção porque 'The Firm' [como Meghan Markle se refere a 'Família Real Britânica'] não os defendia dos ataques da imprensa", lê-se na descrição do trailer, no Youtube.

O filme recria, ainda, a entrevista de Harry e Meghan a Oprah Winfrey e, segundo o primeiro teaser lançado no início do ano, várias discussões entre o casal (com o príncipe a manifestar o receio de que a duquesa estivesse a ser "perseguida até à morte") e momentos românticos na luxuosa mansão em Montecito, Califórnia, refere o "Daily Mail".

"Escaping The Palace" foi filmado em Vancouver e estreou nos Estados Unidos no dia 6 de setembro. Conta com as participações de Jordan Whalen (William), Jordan Dean (Harry), Sydney Morton (Meghan) e Laura Mitchell (Kate) e sucede a "Um Romance Real" e "Um Novo Capítulo".

Veja as imagens do filme, divulgadas pelas imprensas britânica e americana.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.