Cláudio Ramos teceu duras críticas aos comentadores do "Big Brother - Duplo Impacto". O coapresentador do formato elogiou Ana Garcia Martins, também conhecida como A Pipoca Mais Doce, mas acusou outros profissionais de não saberem criar uma "identidade" e de gostarem de "ter atenção".

O rosto das manhãs da TVI começou por referir que existe "falta de criatividade" no painel que é composto por mais de dez comentadores. "Na grande maioria – não todos – não souberam criar uma identidade. Se a Pipoca diz, eles dizem também", escreveu Cláudio Ramos na sua crónica da revista "TV Mais".

Sem referir nomes, acusou ainda alguns profissionais de opinarem "para dentro" e explica: "É tecerem comentários preocupados com o que dizem as redes sociais e com o que se escreve no dia a seguir na imprensa; preocupados em eles próprios serem o motivo do comentário e muito pouco focados no jogo".

No entender do antigo comentador do "Passadeira Vermelha", da SIC Caras, trata-se de alguns rostos quererem protagonismo. "A maioria dos comentadores gosta de ter atenção e esquece-se que os protagonistas não são eles, mas sim os concorrentes", frisou no mesmo texto, acrescentando alguns exemplos: "Já ofenderam concorrentes e os seus familiares, já questionaram a produção, já deram palpites no que faz o 'Big Brother'. Isto é ter zero noção do trabalho de cooperação de um programa".

A Pipoca Mais Doce comenta postura de Joana. "Parece que tem 7 anos"
A Pipoca Mais Doce comenta postura de Joana. "Parece que tem 7 anos"
Ver artigo

Cláudio Ramos elogia A Pipoca Mais Doce

Apesar de tudo, ressalva que "dois ou três" comentadores sabem o que estão a fazer, mas afirma que outros pretendem "ser a Pipoca". "Não adianta! Fica mal. É feio. Pipoca só há uma e por isso é ela que está nas galas", escreveu.

Para o apresentador, Ana Garcia Martins "não copiou ninguém" e conseguiu "adaptar o seu estilo ao estilo do programa". "É impossível não se olhar e perceber que ela criou um estilo para comentar sem se colar à imagem de ninguém. Podem criticar muito, amar, odiar, mas é o estilo dela", esclareceu na mesma publicação

Acrescenta ainda que o trabalho de comentador deve ser feito de forma livre, mas dentro do limite do bom senso. "Devem ser comentários a um jogo e não plataforma de vaidade para ver quem aparece mais", explicou, rematando que o "Big Brother" é "ótimo" para os concorrentes e uma "tábua de salvação" para muitos comentadores.

A MAGG entrou em contacto com os comentadores do "Big Brother - Duplo Impacto" para obter uma reação à crónica de Cláudio Ramos, o que não foi possível até à hora de publicação desta notícia. No entanto, a MAGG sabe que há pelo menos um comentador que já se manifestou junto da direção da TVI.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.