Débora Neves foi a primeira expulsa do "Big Brother — Desafio Final" com 59% dos votos do público e admitiu esta segunda-feira, 2 de maio, que, em grande parte, o que pode ter motivado a sua saída precoce foi a falta de uma estratégia intensa, sobretudo em relação a Ana Barbosa e António, a dupla rival que conheceu na edição do "Big Brother 2021".

Admitiu que a dupla foi um dos obstáculos no seu jogo, onde entrou de "coração aberto", apesar da experiência anterior, onde muitos a apelidaram de "pica miolos"."Não hesitei, queria muito", disse em relação ao regresso ao formato da TVI, em conferência de imprensa com os jornalistas.

"Big Brother — Desafio Final". A primeira expulsão ditou o fim do (curto) jogo para Débora Neves
"Big Brother — Desafio Final". A primeira expulsão ditou o fim do (curto) jogo para Débora Neves
Ver artigo

Débora esclareceu que se sentia preparada. Ainda assim, pode ter-lhe faltado mais estratégia. "Se tivesse pensado mais em estratégia de jogo, se calhar não tinha batido tão de frente com a Ana. Sabia que cá fora poderia ter os apoiantes dela e do António contra mim. Eventualmente, também ter nomeado o Quinaz podia não abonar a meu favor, ou seja, se eu fosse realmente pensar mais no jogo, se fosse mais estratega, podia ter corrido melhor", admitiu.

A ex-concorrente reforçou ainda que neste jogo, por ser o desafio final, se nota uma grande diferença nos participantes devido à experiência que têm em reality shows. Além de descrever uma corrida contra o tempo, Débora diz ter sentido que, por exemplo, no caso de Ana Barbosa e do António, tudo foi muito bem planeado fora do programa.

"Eles prepararam as coisas muito bem. Cá fora existem outros grupos e eles entraram com a missão de me tirar do jogo com alguma rapidez. Foi tudo uma questão de preparação e há quem se prepare mais. O facto de termos mais bagagem faz toda a diferença. As cabeças pensam com mais estratégia já sabem onde intervir e o que fazer, notou-se claramente que é um desafio final."

Embora não tenha conseguido manter-se na competição, Débora tem uma opinião formada do que é ser 100% jogadora."É ser pura, transparente e sincera. Não precisa andar sempre a danificar", disse. "Num jogo temos de ter um bocadinho de tudo e eu sou aquela pessoa que interajo com toda à gente, sou divertida e faço palhaçadas."

Para o futuro, Débora não descarta a possibilidade voltar a entrar num reality show, desde que faça sentido para si. Neste momento está a concluir um curso de personal trainer, que está na fase de estágio, e já foi adiado duas vezes: "Quero acabar para começar a apoiar as pessoas na saúde e no bem-estar."

Tem ainda a sua própria marca de tigelas, que foi criada durante os quatro meses em que esteve fora da casa mais vigiada do país, mas não fecha a porta a outras oportunidades profissionais. "Se outros projetos a nível de televisão acontecerem, estou muito recetiva. Gosto muito de teatro e tenho um curso em representação. A nível de comentar os próximos programas ou mesmo este formato, seria algo desafiante que me ia dar muito prazer."

Enquanto as novidades não chegam, Débora afirma. "Espero que as pessoas comprem as tigelas e que gostem. Quero também lançar outros produtos que já tenho em mente. Vou ainda estar sempre de mãos dadas, e com muito amor, nos projetos do meu irmão. Somos um só."

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.