Se quiser estar em vantagem para garantir um lugar neste autocarro, só tem de fazer uma coisa: comprometer-se a completar todo o percurso. É que esta viagem, da Bus to London, é só para aventureiros que se atrevem a fazer "a mais longa viagem de autocarro do mundo", como é designada, uma vez que percorre 20 mil quilómetros em 70 dias.

A odisseia, planeada para a primavera de 2021, começa em Nova Deli, na Índia, segue para a China, Quirguistão, Uzbequistão, Cazaquistão, Rússia, e termina na Europa, mais especificamente no Reino Unido — não fosse Londres o nome desta viagem criada por Sanjay Madan e Tushar Agarwal, recordistas mundiais do Guinness para a viagem mais longa num país estrangeiro (17.107 quilómetros na Austrália durante 28 dias), que fundaram em 2012 a empresa de viagens longas de autocarro que atravessam continentes: a Adventures Overland.

bustolondon
créditos: bustolondon

"Já levámos viajantes apaixonados a mais de 70 países de todo o mundo a conduzir por todos cantos da Terra — por montanhas de alta altitude, florestas tropicais, desertos isolados, auto-estradas futuristas e percursos icónicos", dizem os fundadores na página da viagem Bus to London. "As nossas viagens de autocarro não se limitam a conhecer novas pessoas, descobrir regiões inexploradas, experimentar culturas únicas ou experimentar culinárias bizarras. Nestas viagens, irá conhecer-se a si próprio", prometem.

Mas prometem ainda mais: explorar milhares de pagodes (templos) em Myanmar, conhecer espécies raras de Pandas em Chengdu, caminhar pela Grande Muralha da China, viajar pela Rota da Seda na China e Ásia Central, e ainda fazer um cruzeiro no Mar Cáspio no Cazaquistão.

Onde parar, onde comer, o que ver. Fizemos a Nacional 2 de autocaravana e contamos-lhe tudo
Onde parar, onde comer, o que ver. Fizemos a Nacional 2 de autocaravana e contamos-lhe tudo
Ver artigo

Depois do percurso que liga a Índia a Londres, é a vez de fazer a viagem de volta após um mês. Esse percurso, também sem precedentes, fará o mesmo itinerário, começando dessa vez em Londres e terminando em Deli, Índia.

Para ambas as viagens, os participantes podem optar por não completar todas as etapas do percurso com previsão de 70 dias. Entre as opções há a viagem pela Europa (16 dias), Ásia Central (22 dias), China (16 dias) ou Sudeste Asiático (12 dias). Contudo, uma vez que há apenas 20 lugares disponíveis, aqueles que preferirem fazer todo o percurso terão prioridade.

É que esta viagem é feita a pensar em aventureiros que preferem o autocarro à típica viagem de mochila às costas que leva vários turistas até à Índia, e os responsáveis pelo percurso deixam mesmo um aviso: "Se rejeitares a comida, ignorares as tradições, temeres a religião e evitares as pessoas, é melhor ficares em casa", dizem no site.

Santa Maria de Lamas. Isabel Silva diz-lhe o que não pode perder numa viagem ao norte
Santa Maria de Lamas. Isabel Silva diz-lhe o que não pode perder numa viagem ao norte
Ver artigo

E quanto aos vegetarianos? A questão, que pode ser um entrave para alguns dos viajantes, é respondida pelos organizadores: "Muitas regiões oferecem comida vegetariana, embora a escolha possa ser limitada. Vamos também ter no nosso autocarro pacotes de comida indiana pronta a comer e um fogão portátil", no qual um dahl de lentilhas  acompanhado de arroz branco pode ser preparado num instante.

Quanto a preços, a viagem começa nas 350 mil rupias (cerca de 4 mil euros) por pessoa, enquanto a viagem completa chega aos 16,7 mil euros, com (quase) tudo incluído. Estadias, vistos e passeios a pé fazem parte do preço, mas os voos e refeições são pagos à parte.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.