No verão de 2020 Mariana Montalvão, de 27 anos, e o namorado alentejano, Pedro Rito, 30 anos, inauguraram a primeira casa do projeto de turismo rural  HORTACASA, em Santiago do Cacém. Passou um ano, o projeto cresceu e em vez de uma casa tem agora duas. Se lhes perguntassem como é que eles estão após duas casas decoradas com peças antigas oferecidas ou dadas pela natureza e prontas a sem usadas pelos hóspedes? Eles responderiam "cá estamos".

Pelo menos seria resposta mais provável de Pedro, alentejano, que ajudou a dar nome a ambas as casas que constituem agora o projeto. "A escolher os nomes para os alojamentos, começámos a pensar em expressões alentejanas e há uma que o Pedro diz muito quando lhe perguntam 'como estás?'. Ele responde 'cá vamos'. E então a Cá Vamos ficou o nome da primeira casa", explica Mariana à MAGG.

Mariana Montalvão e Pedro Rito
Mariana Montalvão e Pedro Rito créditos: instagram

"Depois, começámos a pensar no que faria sentido para a segunda casa. E o 'cá estamos' é como 'cá vamos andando'", continua.

No entanto, no final da estadia, o objetivo é que quem passou uns dias nas casas situadas dentro da quinta de Pedro, em Santiago do Cacém, saia a dizer "cá estamos e com pena de ir embora" ou "cá vamos e de energias repostas". E não faltam motivos para isso.

HORTACASA. O novo alojamento rural em Santiago do Cacém que nasceu de uma figueira
HORTACASA. O novo alojamento rural em Santiago do Cacém que nasceu de uma figueira
Ver artigo

A Cá Vamos T1 e a nova Cá Estamos T2 têm ambas acesso a piscina, uma partilhada com os proprietários e outra privativa, respetivamente. Também possuem zona de churrasco, mesa de refeições exterior, salamandra, cozinha totalmente equipada e wi-fi gratuito — ponto a favor de quem adotou o trabalho remoto e tem aqui uma oportunidade de fazê-lo no meio do Alentejo.

Ao contrário da originária Cá Vamos, a nova casa, a Cá Estamos, já não é apenas para uma escapadinha: acomoda até quatro pessoas e ainda há mais pormenores.

A decoração do passado e do presente

Do passado, Mariana e Pedro foram buscar móveis e até um cadeira que serve de lavatório na casa de banho. Do presente, focaram-se na importância na sustentabilidade nos dias que correm e deram uso ao que a natureza dá. O resultado desta junção, que já estava presente na Cá Vamos T1, são os novos elementos na Cá Estamos T2.

"Comprámos muito poucas coisas", diz Mariana. "A nossa mesa de refeições era um antigo comedouro de ovelhas. Nós tratámos, pintámos e depois o Pedro colocou uma tábua de madeira por cima".

Da mesa junto à cozinha equipada passamos para a casa de banho onde está outro pormenor de destaque. "O lavatório da casa de banho era uma antiga cadeira. Colámos um bocado de madeira nas duas pernas da frente", explica sobre a ideia original. Também o quarto não fugiu ao reaproveitamento de materiais, desta feita diretamente da natureza para as mesas de cabeceira.

"Num dos quartos, as mesas de cabeceira são troncos que tratámos. Era uma antiga oliveira que estava podre, morta, e nós tirámos a oliveira e com o resto fizemos as mesas de cabeceiras".

Com todos estes apontamentos, a ideia é que os hóspedes se sintam como em casa, o slogan da HORTACASA é precisamente "your home away from home" (a sua casa longe de casa, em português), e para isso contribui ainda também o facto de a lenha já estar em fogo na salamandra quando os hóspedes chegam para se instalar.

Em breve, um outro momento poderá aconchegar as noites de inverno e envolve uma sopa de tomate. Mariana revela que estão a pensar numa experiência alentejana, que consiste em degustar uma sopa de tomate numa outra casa da quinta, que está decorada num ambiente rústico. "A ideia é dar aos hóspedes uma experiencia diferente, com comida alentejana, com queijos e vinho", projeta a cofundadora do projeto.

Para já, ainda não é possível fazer a degustação em ambiente alentejano, mas os hóspedes podem consumir os limões, figos, nozes e as tangerinas que estão nas árvores de fruto da propriedade, consoante as épocas. As tangerinas do inverno já podem fazer parte do pequeno-almoço, que é preparado pelos hóspedes nas cozinhas equipadas (ou servido mediante pedido).

Uma noite custa desde 50€ por noite por pessoa (a casa Cá Estamos T2 está disponível para a passagem de ano e a Cá Vamos T1 só volta a 4 de março 2022). Pode reservar no site, Booking, Airbnb ou através das redes sociais.

HORTACASA

Localização: Quinta do Pedro, Bairro da Formiga, 7540-236 Santiago do Cacém
Reservas: +351 916002184 – Mariana/ +351 966382559 – Pedro/ hortacasa.portugal@gmail.com

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.