À primeira vista, as Casas Com Estória não têm histórias para contar. O edifício tem uma fachada de azulejos impecavelmente bem cuidada e por dentro o branco e o minimalismo gritam modernidade. Mas há algo que denuncia os tempos antigos: as janelas grandes com vista para a vila de Santa Comba Dão, distrito de Viseu, por onde, há séculos, passaram outros viajantes.

É que das janelas destas casas temos vista para os pelourinhos, as praças e as casas de xisto das serranias, e se fecharmos essas janelas, no interior estão pormenores que rapidamente deixam de ser meras peças de decoração. É o caso da bicicleta antiga da casa do Sr. Dionísio ou dos ferros de passar na casa da Sra. Júlia.

Estas pessoas são reais e viveram no largo do Rossio. Agora, ainda que já lá não estejam, continuam a viver nas histórias que estas casas contam em cada um destes detalhes.

"Este casario viu rejuvenescer as suas paredes que tantas histórias testemunharam, e agora é uma homenagem aos que com as suas vidas tornaram este local mágico e preservaram toda a sua essência", referem no site, fazendo alusão a uma história que começou há mais de dois séculos.

Ana, apaixonada por Santa Comba Dão, a terra dos pais, decidiu não deixar tudo isto cair no esquecimento e reergueu as casas que eram da sua família e que servem agora para receber turistas que, ainda que procurem uma escapadinha, se querem sentir em casa.

A loja e as casas com identidade

Nas casas transformadas em boutique houses ainda se sentem os traços antigos, quer pela lage de granito, quer pelo nome dos cinco quartos que compõem a Loja Sr. Costa. Estes remetem para as histórias de uma mercearia de dois irmãos que ajudaram a desenvolver a vila de Santa Comba Dão através das novidades que para ali levavam.

Esta é a casa maior, onde pode ficar num quarto privado e partilhar os espaços comuns. E apesar de os irmãos já não andarem por aqui, quem chega continua a ser recebido como antigamente, apenas o serviço é que é diferente. Hoje já não pode chegar aqui e pedir uma pasta de dentes Couto ou meia dúzia de ovos, mas se pedir um quarto com conforto, estadia com pequeno-almoço incluído e acesso a espaços comuns amplos que respeitem o distanciamento social devido à pandemia, vai ter de certeza.

Para quem prefere um espaço mais intimista, pode ficar numa das casas das Casas com Estória — Casa Alvorada, Casa Srª Júlia, Casa Dionísio, Casa Srª Maria e Casa Sr. Miguel.

Mas afinal quem são estas pessoas? Alvorada era solteira, foi costureira a vida toda e sempre viveu nesta casa com a sua mãe, a Srª Julia, que dá nome a outro quarto e é conhecida por passar a ferro como ninguém. Passamos para outra estória para falar de Dionísio. Trabalhou sempre na serração, gostava de trabalhos de carpintaria e era casado com a Srª Maria, nome igual ao da sua mãe. Outra das características de Dionísio, que viveu desde pequeno no Rossio, é que não largava a bicicleta, acabando por deixá-la com os hóspedes deste casa.

A sua mulher, a Srª Maria, distinguia-se pela simplicidade, educação, pelos olhos verdes e ainda pelas plantas que deixou ao cuidado de quem agora passa pelas Casas com Estória. O Sr. Miguel, pai de Dionísio, também faz parte desta família e das casas que compõem as boutique houses em Santa Comba Dão. O Sr. Miguel toda a vida dedicou-se à lavoura e foi encarregado numa quinta onde tratava do olival, da vinha e das respetivas produções e ainda da criação de gado.

Abrantes, Sardoal e Constância. Roteiro de umas férias perfeitas num Portugal ainda pouco explorado
Abrantes, Sardoal e Constância. Roteiro de umas férias perfeitas num Portugal ainda pouco explorado
Ver artigo

E quanto é que custa conhecer todas estas "estórias"? Uma noite para duas pessoas de 22 para 23 de julho, por exemplo, começa nos 80€ no caso de uma suite standard. Em qualquer uma das opções o pequeno-almoço está incluído.

Este é servido de diferentes formas, consoante o tipo de alojamento. Se ficar numa das casas o pequeno-almoço é deixado no frigorífico e o pão é entregue de manhã na porta. Já para quem ficar nas Loja Sr. Costa, a primeira refeição do dia é servida "como em casa da avó", diz Ana Pais de Sousa, responsável pelas Casas com Estória. É na sala comum que se serve o pequeno-almoço, e apesar de já antes ser servido na mesa, devido à COVID-19 cada uma destas está alocada a um quarto especifico.

Quanto ao que é servido, pode contar com um típico pequeno-almoço português, com coisas com a tradicional carcaça, fiambre, queijo, compotas, ovos mexidos, iogurte, leite, café, chá e sumo.

O que fazer?

Fazer férias no centro de Portugal normalmente acarreta uma ideia pré-concebida de que não vai haver nada para fazer. Ora, não é o caso. Vai até de ter de arranjar tempo para fazer tudo aquilo que quer, principalmente se a estadia em Santa Comba Dão for curta.

Isto porque as Casas com Estória têm uma série de parceiras com diferentes empresas locais que ajudam os turistas a descobrir o melhor da região — o Dão. Pode já imaginar-se a fazer um piquenique com produtos da região. Esta é apenas uma das opções, mas pode também fazer uma prova de vinhos, passeios de bicicleta, atividades náuticas, visitar uma queijaria ou passar o dia numa quinta.

Ohai Nazaré. Este resort de natureza tem glamping, spa e um parque aquático
Ohai Nazaré. Este resort de natureza tem glamping, spa e um parque aquático
Ver artigo

Apesar da calmaria que se sente no Dão, relaxar nunca é demais e se a isso quiser juntar os benefícios que as águas medicinais podem trazer, basta ir até às Termas de São Pedro do Sul, que ficam apenas a 47 km das boutique houses.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.