Pelo menos uma vez na vida já se questionou como é que há coisas que passam despercebidas quando estão mesmo à frente dos seus olhos? Depois de conhecer estas ilhas no Parque Nacional Marítimo-Terrestre, na Galiza, vai repeti-lo mais uma vez: como é que nunca descobriu as ilhas Cíes e Ons? Uma é mais popular, outra mais recatada —ideal para os tempos de pandemia —, mas em qualquer uma é certo que vai ter uma água cristalina a pedir banhos e umas férias descansadas.

Não foi ao acaso que os romanos chamaram às Cíes ilhas dos deuses. Mesmo que as entidades divinas não existam, temos no nosso imaginário que aquilo que pertence a deuses é também algo único.Tal como estas ilhas.

Cíes é um arquipélago comporto por três ilhas — Monte Agudo e O Faro, ambas unidas por um longo areal que corresponde à praia de Rodas, e ainda San Martiño — sendo que a praia de Rodas foi distinguida lá fora como a melhor praia do mundo, tal como escreveu o jornal britânico "The Guardian" em 2007, primeiro lugar que deixou esta ilha inundada de centenas de turistas todos os anos, principalmente no verão.

Já a ilha de Ons, formada por ilhas e ilhéus que se encontram à entrada da ria de Pontevedra, também fazem parte do Parque Nacional das Ilhas Atlânticas da Galiza, o primeiro parque nacional da Galiza, que vai desde a ria de Arousa até à ria de Vigo.

Ons é caracterizada pela riqueza natural e paisagística, pelas águas profundas ricas em nutrientes, mas também por traços sociais, históricos e etnográficos, sem esquecer a gastronomia da qual se destaca o polvo, cuja captura muito comum nestas ilhas galegas. Ao lado da ilha de Ons fica a irmã Onza e o ilhéu das Freitosas, fechando assim a ria de Pontevedra.

Porto Santo. Saiba o que fazer, comer e visitar na ilha que Marcelo escolheu para as férias
Porto Santo. Saiba o que fazer, comer e visitar na ilha que Marcelo escolheu para as férias
Ver artigo

Quer nas ilhas Cíes, ou outras protegida pelo Parque Nacional, deve cumprir com as regras de preservação. "Os visitantes terão de se responsabilizar pelas embalagens e resíduos que transportam para as ilhas. Nas Cíes, o acesso controlado de um número máximo de 2200 pessoas diárias garante a tranquilidade", tal como refere o site "Turismo de Galicia".

Como ir

Apesar da azáfama de outros anos, o contexto atual pode ter alterado o fluxo de turistas, mas só o vai saber se for até lá. Para chegar até a este fenómeno da natureza com experiências de contacto com a fauna e flora, é necessário seguir viagem de carro, que dura cerca de 1h30 a partir do Porto, autocarro, ou ainda comboio até Vigo e a partir daí seguir de ferry boat até às ilhas Cíes.

Para fazer a travessia de ferry, há três empresas que asseguram esse serviço. Em julho e agosto com a Marde Ons a travessia custa 19,50€ para adultos, 7€ para crianças entre os 5 e os 12 anos, e gratuito para as que têm menos de 5 anos. Já no caso do Piratas de Nabia os adultos pagam 18,50€, crianças entre os 4 e os 12 anos pagam 6€ e entre os 0 e os 3 anos não pagam bilhete. Por último, em agosto a Cruceros Rias Baixas cobra 20€ a adultos e 10€ a crianças entre os 3 e 12 anos, e em setembro passa para 18€ para adultos e 6€ para crianças. Entre os 0 e os 2 anos o bilhete é gratuito.

FlixBus tem bilhetes a partir de 1€ para viajar de norte a sul de Portugal
FlixBus tem bilhetes a partir de 1€ para viajar de norte a sul de Portugal
Ver artigo

O mesmo acontece para ir até à ilha de Ons, sendo que os preços praticados em cada ferry boat são diferentes. Pode partir de Vigo ou de Bueu, Sanxenxo e Portonovo. Estes três últimos são a forma mais barata na Marde Ons, com bilhetes a 7€ para crianças e 14€ para adultos, enquanto se partir de Vigo o bilhete fica a 6€ para crianças e 19,50€ para adultos. Menores de cinco anos não pagam.

No caso do Piratas de Nabia, desde Bueu e Portonovo o valor é de 8€ para crianças e 15€ para adultos, enquanto a partir de Vigo, Cangas e Baiona fica a 10€ para crianças e 20€ para adultos. Falta falar da Cruceros Rias Baixas, cujo bilhete custa 6€ para crianças e 14€ para adultos.

Onde ficar

Se é adepto de campismo, esta é uma das opções mesmo dentro das ilhas Cíes e Ons e também a mais barata. Deve fazer a reserva com antecedência e na hora de pagar conte com preços entre os 25€ para duas pessoas por dia se levar a própria tenda, ou 50€ para duas pessoas nas tendas do parque no Camping Islas Cíes. Já para acampar em Ons, o Camping Islas de Ons tem opção de tenda, e ainda o alojamento da moda: glamping. Uma noite neste acampamento custa a partir de 21€ para duas pessoas. Se prefere uma alternativa com mais requinte, fique atento aos vários hotéis em Vigo de que vamos falar.

O Sercotel Hotel Bahía de Vigo tem mesmo o cais de embarque para as Ilhas Cíes à porta, mas antes de partir para a praia de água cristalina, pode dar um passeio pela praça principal de Vigo, o Parque Charlie Rivel, o Mercado de la Piedra, e ainda a Calle de las Ostras, próximos do hotel localizado no centro de Vigo, cidade espanhola a partir da qual pode ir para as ilhas. Se preferir ficar apenas a descansar, pode usufruir do conforto do quarto apetrechado com banheira de hidromassagem. Uma noite para duas pessoas em agosto custa a partir de 81€ por noite sem pequeno-almoço, ou 105€ com pequeno-almoço incluído.

Tem ainda o Hotel Pazo Los Escudos Spa & Beach, também em Vigo. O hotel mantém o luxo, mas desta vez numa antiga casa de campo galega, com os jardins amplos, e da qual pode tirar proveito da vista mar. Em dias que não queira ir até às ilhas Cíes, pode dirigir-se à praia de Carril, cujo acesso é direto a partir do hotel. Para duas pessoas, uma noite custa a partir de 168€ sem pequeno-almoço, ou 198€ com pequeno-almoço incluído.

Perto das ilhas Cíes fica o Talaso Atlántico, um resort em Mougás com vista para o Oceano Atlântico, que além de amplos terraços, tem um centro de talassoterapia (uso de água do mar como uma forma de terapia) com uma piscina. Também em agosto, uma noite para duas pessoas custa a partir de 126€, com pequeno-almoço incluído.

Para abrir o apetite

Fama é o que mais caracteriza Cíes: não é que na famosa praia de Rodas ficam também famosos restaurantes e o também famoso polvo? Se quer fugir a todos estes pontos turísticos que colocam filas à porta (ainda para mais agora com redução das salas de refeição), deve seguir para outra sugestão.

Ainda assim, se quiser sentar-se para uma refeição numa explanada mesmo junto à praia tem o Restaurante Serafín, nas ilhas Cíes, cuja ementa inclui pratos como o então polvo à galega (16€) ou um simples robalo grelhado (18€).

Sky Bar Carvoeiro. Ostras da ria Formosa e o melhor que o Algarve tem para oferecer
Sky Bar Carvoeiro. Ostras da ria Formosa e o melhor que o Algarve tem para oferecer
Ver artigo

Já em Ons há um restaurante também com pescado variado, o Restaurante Casa Acuna, que além do típico polvo "à feira" (15€) tem presunto assado (8€). Ainda por estas bandas fico o bar O Pirata, com petiscos (ou tapas) variados, saladas a (partir de 5€), e cervejas para beber ao fim do dia na esplanada.

O que fazer

Trekking é um clássico para quem visita Cíes. Desde a rota de do Monte Faro, passando pela do Farol de A Porta, do Alto do Príncipe, até à rota do Monte Agudo, já tem aqui uma boa carga de sugestões (e quilómetros) para percorrer a ilha e conhecer cada pedaço de terra.

Mas os trilhos não são o único programa que pode fazer aqui. Um passeio de barco permite conhecer a ilha de uma ponta à outra (e saber aquelas curiosidades, verdadeiras ou não, que os guias adoram contar). Outro dos planos mais concorridos é fazer mergulho nas águas de Cíes, no qual pode ter a oportunidade de nadar (ou barbenetar) entre lavagantes, santolas e polvos e ainda ver ouriços-do-mar, florestas de anémonas e até linguados e pregados.

Se quiser fugir da famosa praia de Rodas, que ganhou inúmeros banhistas devido à exposição internacional, também pode percorrer as praias de Figueiras, naturista, ou as praias de Bolos e Nosa Señora.

Já na ilha de Ons, um pedaço de terra com uma riqueza imensa, também não faltam atividades. Além da praia, que já se sabe de águas cristalinas, areia fina e dourada, pode conhecer a povoação d’O Curro, subir até ao miradouro do Farol ou ir até ao de Fedorentos, na zona sul, e ainda passar pel’O Buraco do Inferno, uma gruta marinha (furna) com forma de poço, que vale a pena visitar para despertar todos os sentidos: a visão e a audição, uma vez que aqui é possível ouvir o mar de uma forma única.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.