Este mês, a MAGG foi conhecer Porto Santo, a ilha mais pequena e com habitantes do arquipélago da Madeira. Fica a duas horas do Porto, local onde entrámos a bordo daquele que foi o primeiro voo da EasyJet que ligou a Invicta à Ilha Dourada. Esta rota é feita às quintas-feiras e aos domingos.

Agora que já tem uma ideia de como chegar ao Porto Santo, falta pensar no que vai fazer para se manter entretido. A ilha tem apenas 42 km de extensão e cerca de cinco mil habitantes, mas não faltam atividades para a ficar a conhecer melhor. Depois de descansar na praia — considerada a melhor da Europa para este ano —, parta à aventura.

Prepare a toalha e o biquíni. Porto Santo, na Madeira, é a melhor praia da Europa para 2022
Prepare a toalha e o biquíni. Porto Santo, na Madeira, é a melhor praia da Europa para 2022
Ver artigo

Estando de férias, não quererá cansar-se em demasia, pelo que passeios a pé não são tão apelativos. Tendo em conta que há zonas na ilha de difícil acesso, o melhor será sempre optar por um meio de transporte alternativo. De uma boleia de jipe pelas zonas mais íngremes a um passeio de caiaque para chegar às mais belas zonas costeiras, são várias as possibilidades.

Aventurar-se numa tour de jipe pela ilha

Porto Santo
créditos: Fotografia de Francisco Carrasco

As vibes de safari ou de "Jurassic Park" estão garantidas nesta atividade que tem o custo de 15€ por pessoa. Os jipes da Angie Travel, agência de serviços turísticos pelo Porto Santo, são a melhor forma de chegar às zonas mais íngremes desta ilha de origem vulcânica. Ao alinhar nesta aventura, vai ter de responder a uma pergunta: "com ou sem emoção?".

Ao mesmo tempo que conduz o veículo pelos percursos acidentados, o guia vai dando conta dos principais tesouros da ilha. Nós passámos pela zona mais árida, que parece um mini deserto do Saara, e cujas areias são utilizadas de forma medicinal para problemas reumáticos devido à concentração alta de minerais.

Também ficámos a conhecer grande parte dos miradouros da Ilha Dourada, desde o Miradouro da Portela, com vista sobre a maior parte da ilha, ao Miradouro do Furado Norte, onde observámos de perto (tanto quando podíamos) o Ilhéu do Ferro, um dos seis ilhéus não habitados em torno do Porto Santo, e ainda o Miradouro dos Morenos, que nos deu a conhecer uma parede rochosa de origem vulcânica, que tem vindo a combater uma forte erosão.

Apertámos o cinto a caminho das piscinas naturais do Porto das Salemas, uma autêntica obra prima da Natureza, e ficámos a conhecer as várias lendas associadas aos recantos desta ilha (com muitos amantes envolvidos, como é o caso do Pico de Ana Ferreira, uma alegada amante de um rei que terá sido excomungada para aquela gruta). Preço por pessoa: 15€.

Fazer uma viagem de barco pela costa

Depois de levantarmos poeira, fomos navegar sobre as águas mornas do Porto Santo numa embarcação semirrígida da Mar Dourado, empresa de animação marítimo-turística vocacionada para os passeios de barco.

A experiência custa 45€ para adultos e 25€ para crianças e inclui a degustação de produtos regionais, como a poncha e as broas de mel da Madeira. Alimentados, passámos de perto em alguns ilhéus, podendo observar melhor a sua composição e ficar a conhecer a sua história. São bastante habitados por caranguejos e um deles assemelha-se a um animal selvagem — e mais não dizemos, para não lhe estragar a experiência com spoilers.

Tratando-se de um passeio de barco por Porto Santo, pode, claro, mergulhar nas águas límpidas e cristalinas que parece que nos chamam. Mesmo assim, a cereja no topo do bolo foi mesmo o avistamento de golfinhos que, em grupo, vão acompanhando o trajeto do barco e deliciando os turistas com os seus caraterísticos saltos. Uns maiores e outros ainda bebés, que mal sabiam mergulhar, conseguimos vê-los enquanto rodeavam a embarcação em andamento.

Chegar ao melhores spots com uma Moto 4

Porto Santo
créditos: Imagem cedida

Prefere ficar em terra? Isso não tem de ser aborrecido. Com recurso a uma moto 4, que pode alugar na Auto Acessórios Colombo, consegue percorrer o Porto Santo da maneira mais cool e radical. Enquanto no passeio de Jeep tem um motorista, desta vez é você quem fica responsável pela condução.

O capacete é indispensável, tal como uma paragem para ver o pôr do sol. A luz solar de um final de dia refletida no oceano enquanto este banha o Porto Santo é algo indescritível. A cada vez mais famosa Ilha Dourada (por este fenómeno do sol, pela cor desértica das paisagens ou até pelos 9km de areal) proporciona momentos verdadeiramente relaxantes.

Na moto 4 pode fazer o percurso sozinho ou com um acompanhante, agarrado às suas costas. Desde que os estime, estes veículos podem atingir grandes velocidades e levá-lo de uma ponta à outra da ilha em pouco tempo. E são mais fáceis de conduzir do que uma mota convencional. Um passeio de 2 horas custa 50€.

Alinhar num passeio a dois num Twizy

Se veículos de grandes dimensões como jipes ou moto 4 não são do seu agrado, não é por isso que vai ter de percorrer a ilha pelo próprio pé. A Moinho Rent-a-Car permite-lhe alugar um Twizy (duas horas têm o custo de 40€) para poder, de uma forma leve, rápida, cómoda e fácil, deslocar-se pelas estradas do Porto Santo.

Os Twizy são aqueles carros bem pequenos, mais ainda do que os Smart, onde cabem duas pessoas (a custo). Têm apenas dois lugares: o de quem conduz e o do passageiro, que fica logo atrás do banco do condutor. Estes veículos elétricos só têm travão e acelerador e são muito fáceis de manobrar.

Os responsáveis pela empresa de aluguer vão ensiná-lo a ligar o carro e a utilizar as suas principais ferramentas. Não se esqueça de verificar a bateria, que, embora duradoura, não é eterna, e não convém ficar apeado algures. Esta é, sem dúvida, uma das maneiras mais divertidas e diferentes de conhecer o Porto Santo. Que tal uma ida ao centro, por exemplo?

Desafiar as ondas num caiaque

Porto Santo
créditos: Fotografia cedida por Maria Pereira

Esta é para os atletas. Com saudades de um treino de braços do ginásio? O remo do caiaque da Porto Santo Destination Tours vai acabar com elas. O que à partida parece fácil requer, na verdade, bastante concentração e mestria. Este remo, que é o que faz com que consiga sair do sítio e dirigir-se para onde quer (e não para os locais as ondas o levam), tem muito que se lhe diga.

Posições e movimentos específicos vão ajudá-lo a deslocar-se pelo mar. Há caiaques para uma ou duas pessoas e, no caso de Matias, o instrutor, para uma pessoa e um cão. É verdade: aqui está a estrela desta atividade, o Sherlock. Este cão de água acompanha o dono em tudo o que são aventuras marítimas (incluindo snorkeling, onde consegue caçar polvos).

Obediente e corajoso, o Sherlock vai mostrar-lhe o caminho que deve percorrer para chegar às zonas mais escondidas da ilha, cujo acesso pedonal é um pesadelo. A partida é desde a praia da Calheta. Depois, pode entrar em algumas grutas (não aconselhadas para pessoas com claustrofobia) e ficar a conhecer a praia do Zimbralinho, onde o chão são rochas. A experiência custa a partir dos 25€ por adulto.

Conhecer todos os recantos com uma bicicleta elétrica

Isto é tudo muito bonito, mas prefere os clássicos? Pronto. Aproveite para conhecer a zona turística do Porto Santo, com lojas convidativas e restaurantes ainda mais, com a ajuda de uma bicicleta elétrica da Auto Acessórios Colombo, perfeita para os dias limpos.

A forma como deslizam pela ciclovia com o impulso de poucas pedaladas é impressionante. Para que não canse as pernas, estas bicicletas, com as quais consegue atingir velocidades consideráveis, são ótimas para fazer as paragens que quiser e para entrar em zonas mais apertadas. Andar numa durante 4 horas vai custar-lhe 20€.

Não se esqueça de aplicar protetor por todo o corpo, já que vai ficar exposto, de forma direta, ao sol, e prepare todo um itinerário com aquilo que não pode sair da ilha sem ver. Estas bicicletas elétricas deixam-no praticar a dose diária de atividade física, mas sempre tendo em conta de que está de férias.

*a MAGG visitou a ilha de Porto Santo a convite da easyJet

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.