Férias são, geralmente, sinónimo de descanso. Mas, quando falamos em descanso, imaginamos um cenário paradisíaco com toalhas estendidas num areal ou à beira de uma piscina. No entanto, as férias também podem ser o momento ideal para partir à descoberta e desafiar os seus limites embarcando numa viagem única e que, certamente, recordará para sempre.

E quando falarmos em viagens desafiantes também nos referimos, claro, a peregrinações. Estes percursos, que são muitas vezes associados a motivos religiosos, são, na verdade, muito mais do que isso. Há quem os faça por ter fé, claro, mas também quem os percorra por motivos culturais, turísticos, ou simplesmente como uma forma de superação individual. Afinal, há peregrinações que se estendem por centenas de quilómetros.

É o caso do Caminho de Torres, que liga as regiões espanholas de Salamanca a Santiago de Compostela. A capital religiosa da Galiza recebe anualmente milhares de turistas todos os anos não só pelo simbolismo religioso da cidade, mas também pela sua beleza e carga cultural. O percurso, que se estende por 570 quilómetros, passa por várias regiões espanholas, mas também pelo norte de Portugal.

Este caminho terá sido percorrido pela primeira vez em 1737 pelo espanhol Diego de Torres Villarroel, poeta, escritor, dramaturgo, médico, matemático e professor. Villarroel demorou mais de cinco meses a concluir todo o trajeto e, no seu poema “Peregrinación al glorioso Apóstol Santiago de Galicia”, descreve-o como sendo uma das experiências mais desafiantes da sua vida.

Hoje em dia, e de acordo com o site oficial do Caminho de Torres, a caminhada terá a duração de 24 dias, mas isso não significa que seja menos desafiante. São vários os trajetos onde os caminhantes têm de enfrentar subidas, sendo que o ponto mais alto que atingem é a quase 1000 metros de altitude na zona do Alto de Quintela, na zona de Baião.

Um percurso que liga Portugal a Espanha

A viagem começa na região de Salamanca e parte em direção a Robliza de Cojos e San Muñoz. Daí, segue até à fronteira com Almeida, já em Portugal. É neste momento que o percurso começa a tornar-se mais desafiante, passando por vários caminhos no meio da natureza e onde as irregularidades no terreno e a altitude se começam a fazer sentir.

Daí, o caminho segue para Pinhel e, depois, em direção ao Douro, região classificada como Património Mundial pela UNESCO. A viagem continua até Baião, na região de Braga, onde vai ter de enfrentar os 1000 metros de altitude do Alto de Quintela. É aqui que ultrapassa a fronteira entre o Douro e o Minho.

Cidades como Amarante, Felgueiras, Guimarães e Braga juntam-se aos locais por onde vai passar no mapa, antes de rumar a Ponte de Lima. É aqui, neste momento, que o Caminho de Torres se cruza com o Caminho Central Português, o mais conhecido para quem faz peregrinações até Santiago de Compostela.

Daqui, o Caminho de Torres segue para Rubiães, em Paredes de Coura, em direção a Valença, na fronteira com Espanha, e até Tui. Nos quilómetros finais desta jornada, o percurso passa ainda pelas zonas galegas de Redondela, Pontevedra, Caldas de Reis e Padrón, antes de chegar, por fim, a Santiago de Compostela.

7 locais a conhecer durante a viagem

Fazer um percurso como o Caminho de Torres permite conhecer várias zonas do País que talvez nunca tenha conhecido até então. Falamos de zonas como Peso da Régua ou Lamego, na região do Alto Douro, considerado Património Mundial pela UNESCO, e onde pode aproveitar para provar alguns dos vinhos mais prestigiados da região, diretamente no local onde são produzidos, além de apreciar as paisagens verdes do Douro Vinhateiro.

Também classificadas como Património Mundial são as regiões de Boa Côa, o Bom Jesus de Braga, a mítica Sé de Braga e, por fim, o Centro Histórico de Guimarães. É na cidade que viu nascer Portugal que vai poder conhecer o emblemático Castelo de Guimarães, o Paço dos Duques de Bragança ou as praças populares medievais do Largo da Oliveira e de Santiago.

Para conhecer o percurso completo e consultar todos os guias, passe pelo site do Caminho de Torres, em www.caminhodetorres.pt, onde tem disponíveis todas as indicações para o ajudar a completar esta viagem. Pode também instalar a aplicação para smartphones, que promete ser a sua maior aliada durante a viagem.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.