O médico veterinário é o especialista que acompanha o animal de estimação ao longo de toda a sua vida e quem tem o papel mais importante no que toca a garantir que este é saudável e se sente bem, independentemente da fase em que se encontra. Enquanto um cachorro precisa de levar as primeiras vacinas, um cão sénior poderá necessitar de tratamentos devido a problemas associados à idade. Quanto ao tutor, será o braço direito do médico veterinário que cuidará do seu cão seguindo os conselhos do especialista. É por isso que é tão importante levá-lo com regularidade às consultas, tendo em conta vários fatores, como a idade e o estado de saúde do animal. Este é um momento em que, além do exame médico, o tutor do cão pode aproveitar para esclarecer todas as suas dúvidas.

A importância de levar o seu cão ao médico veterinário

Não é mentira nenhuma (e para muitas pessoas também não é novidade) que ter um animal de estimação representa um acréscimo no orçamento familiar. Se lhe custa pagar a conta da consulta e, por isso, cai na tentação de não levar o seu amigo de quatro patas para um check-up, fique a saber que cumprir à risca as idas à clínica veterinária pode ser uma boa estratégia para poupar dinheiro a longo prazo. Isto porque, ao fazê-lo, está a apostar na prevenção de potenciais problemas de saúde do cão e que podem ser sinónimo de grandes gastos no futuro. Além de que poderá fazer escolhas mais informadas e que vão beneficiar a saúde do seu amigo de quatro patas — por exemplo, optar por um alimento de uma marca de qualidade — e estar atento aos primeiros sintomas que possam indicar a presença de doença.

O primeiro ano de vida do cachorro

Desde o nascimento até completar 16 semanas de vida, qualquer cachorro deve visitar o seu médico veterinário a cada 3-4 semanas para que este o avalie, garantindo que se está a desenvolver de forma normal e que não há sintomas de uma doença que possa ameaçar o seu bem-estar. Nestas consultas, levará as suas primeiras vacinas, nas quais se incluem a da esgana e da parvovirose canina, mas não só. Também será desparasitado com regularidade, eliminando ou prevenindo parasitas indesejados. Depois de cumprido o programa de vacinação, se pretender esterilizar o seu cão, deve marcar uma consulta quando este tiver aproximadamente seis meses de idade. Nesta fase, é muito importante alimentar o cachorro com um alimento específico, desenvolvido para as suas necessidades, com nutrientes adequados para esta fase de crescimento, uma fase chave para o desenvolvimento do seu sistema imunológico, cognitivo e motor.

Está preparado para viver com um gato ou cão? Este quizz dá-lhe a resposta
Está preparado para viver com um gato ou cão? Este quizz dá-lhe a resposta
Ver artigo

Quando o cão já é adulto

Depois de atingir a maturidade, o tutor deverá levar o seu cão ao médico veterinário uma vez por ano para fazer um check-up. Nestas consultas, o especialista irá examinar o seu cão do focinho à cauda, por assim dizer: vai auscultar o seu coração e pulmões, examinar os seus olhos, ouvidos, patas, pele e pelagem, verificar se existem pulgas e carraças, medir a sua temperatura, pesá-lo. Se necessário, também administrará vacinas. Dependendo das conclusões que retira da sua observação, o médico veterinário poderá fazer algumas recomendações em termos de cuidados de higiene oral, atividade física e alimentação ou até prescrever outros exames. À medida que envelhece e se torna um cão sénior, o intervalo entre as consultas poderá ter de ser reduzido.

Na primeira consulta, esclareça todas as dúvidas

Para que cuide bem do seu amigo de quatro patas, é importante que não tenha dúvidas em relação ao que tem de fazer. As primeiras consultas são também uma boa altura para o tutor se aconselhar acerca do comportamento e treino do seu cão em casa e saber como implementar regras logo desde o início. Prepare-se ainda antes de sair de casa e elabore uma lista de todas as questões que gostaria de lhe colocar, como:

— Qual o tipo de alimento mais adequado e que nutrientes deve conter?
— Que quantidade de alimento lhe devo dar diariamente?
— Como posso saber se está com o peso saudável?
— De que tipo de vacinas vai o meu cão precisar?
— Em que altura deve ser colocado o microchip de identificação?
— Que comportamentos são considerados anormais?
— A que sinais devo estar atento?
— Que cuidados devo ter com a sua saúde oral?
— Com que frequência devo fazer a desparasitação interna e externa?

Uma alimentação amiga da saúde do cão

Somos aquilo que comemos, e o mesmo se pode dizer dos nossos amigos de quatro patas. Nas consultas a que levar o seu cão ao longo da vida, o médico veterinário poderá ir ajustando as recomendações acerca do melhor tipo de alimento, que deverá ser adequado à fase da vida do cão e ao seu estado de saúde. Por exemplo, um cachorro deverá comer um alimento que o ajude a crescer de forma saudável. Para mais conselhos sobre alimentação para esta fase da vida do cachorro consulte https://www.royalcanin.com/pt/dogs/products/puppy. Se já foi esterilizado, o tutor deve dar-lhe um alimento adequado às suas novas necessidades nutricionais. Se o seu cão sofre de sensibilidades a nível gastrointestinal, dermatológico, articular, urinário ou dentário, as características do seu alimento farão a diferença no seu bem-estar.

A informação que deve transmitir ao médico veterinário

Para que o médico veterinário possa fazer a melhor avaliação possível do cão, é importante que o tutor — que convive diariamente com o animal e é quem melhor conhece os seus comportamentos — transmita alguns dados ao especialista. Reúna toda a informação acerca da saúde do seu cão; se necessário, peça-a ao abrigo, loja de animais ou criador de onde trouxe o animal. Além disso, anote a marca do alimento que lhe dá, a quantidade diária, se lhe dá recompensas e o nome de medicamentos que está a tomar. Se verificar alterações no comportamento do seu cão — relativamente a hábitos de hidratação, apetite, vontade de brincar, níveis de energia, vómitos ou diarreia —, também deverá transmitir ao médico veterinário.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.