Dois ativistas alemães que fazem parte da plataforma Letzte Generation (Última Geração), que luta contra as alterações climáticas, destruíram este domingo, 23 de outubro, um quadro do pintor francês Claude Monet, avaliado em 110 milhões de euros, atirando-lhe puré de batata líquido. Depois, antes da chegada dos seguranças, encheram as mãos de cola e colaram-se ao chão e às paredes, um hábito cada vez mais comum entre os protestantes. Esta intervenção foi uma forma de chamar à atenção mediática para o problema das alterações climáticas, conforme explicou a plataforma Letzte Generation. Mas não se pode dizer que tenha recolhido um apoio massivo entre os cidadãos. Muito pelo contrário.

O incidente aconteceu no Museu Barberini, em Potsdam, perto de Berlim, na Alemanha. Os dois ativistas, vestidos com coletes laranja, aproximaram-se do quadro "Les Meules", pintado entre 1890 e 1891 por um dos maiores génios do impressionismo, o francês Claude Monet, e atiraram-lhe um balde de puré de batata líquido, perante o olhar impávido de quem por ali circulava. Um outro ativista filmou a cena e partilhou na conta de twitter da Letzte Generation.

Veja aqui o vídeo:

"Fazemos deste #Monet o palco e o público a audiência. Se é preciso atirar puré de batata ou sopa de tomate a um quadro para que a sociedade se lembre de que o uso de combustíveis fósseis está a matar-nos a todos, então, vamos vamos atirar puré de batata a um quadro", escreveu a organização no post publicado no Twitter.

Mas não se pode dizer que as reações gerais tenham sido as mais agradáveis para a Letzte Generation. Foram muitas as críticas à forma escolhida pelos ativistas para protestarem. "Independentemente do vosso fim, nada legitima os meios que usaram", criticou um utilizador. "Se a protecção do clima tem bárbaros como amigos, já não precisa de inimigos", pode ler-se nos muitos comentários.

Recentemente, a 14 de outubro, outro grupo de ativistas ambientais, agora da plataforma Just Spot Oil, já tinha atirado latas de sopa de tomate a um quadro de Vincent Van Gogh, na National Galllery de Londres. Após terem atirado a sopa ao famoso quadro dos girassóis, colaram-se à parede. Um deles, gritou então: "O que é que vale mais, arte ou vida? Valerá mais do que a comida? Mais do que a justiça? Está mais preocupado com a proteção de um quadro ou com a proteção do nosso planeta e das pessoas?", gritou.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.