Na sequência de um aumento exponencial das infeções por COVID-19 a nível mundial, a Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido garante que está atenta a uma sub-variante da Ómicron. Esta nova linhagem (a BA.2), que já chegou a vários países, parece ser ainda mais contagiosa que a original — e já chegou a Portugal.
COVID-19. Maiores de 35 anos já podem agendar a dose de reforço da vacina
COVID-19. Maiores de 35 anos já podem agendar a dose de reforço da vacina
Ver artigo

Dados recentes avançam que há "um número crescente de sequências BA.2 identificadas tanto nacional quanto internacionalmente", depois de ter registado uma "taxa de crescimento aumentada" em relação à forma anterior de Ómicron, oficialmente designada como BA.1, noticia o jornal "Financial Times".

Em Portugal, segundo o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, a primeira infeção pela linhagem BA.2 foi detetada no país em novembro de 2021. A Dinamarca já começou a estudar esta nova linhagem e os resultados preliminares da sua investigação também suportam a teoria de que a nova sub-variante é mais contagiosa, já que apontam para uma maior transmissibilidade.

"Na Dinamarca, com esta BA.2, parece ter havido um aumento significativo do número de casos, que pode sugerir que possa ter uma transmissibilidade maior que a Ómicron", argumentou o investigador do Instituto de Medicina Molecular, Miguel Prudêncio, citado pela CNN.

Ainda assim, ainda não é oficial que a sub-variante BA.2 seja, de facto, mais contagiosa. O investigador Miguel Prudêncio considera que os resultados não são ainda "suficientemente sólidos" e a Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido ainda está a trabalhar no sentido de obter uma conclusão definitiva.

Recorde-se de que esta sexta-feira, 21 de janeiro, Portugal registou um novo recorde de infeções por COVID-19, com mais 58.530 casos positivos e 49 óbitos associados à doença, segundo o último relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.