O governo português vai compensar 20% da quebra de faturação dos dois fins de semana em que os restaurantes são obrigados a fechar portas. Em conferência de imprensa, Pedro Siza Vieira começou por dizer que a situação no setor da restauração é "verdadeiramente de perda de faturação" — cerca de 31% em relação ao mesmo período em 2019, o que se traduz em 1.860 milhões de euros.

Ljubomir sobre a crise da restauração e apoios do governo. "É atirar poeira para os olhos"
Ljubomir sobre a crise da restauração e apoios do governo. "É atirar poeira para os olhos"
Ver artigo

No entanto, o ministro da Economia nega que a quebra se deva exclusivamente às medidas restritivas impostas pelo executivo de António Costa. "É a contração da procura total”, disse Siza Vieira, tal como escreve a SIC Notícias.

Pedro Siza Vieria revelou que o governo já apoiou ou planeia apoiar o setor em 1.103 milhões de euros, de forma a compensar a quebra dos primeiros nove meses de 2020, altura em que a pandemia causada pelo novo coronavírus obrigou centenas de restaurantes a fechar portas. Já em relação ao encerramento imposto para este e para o próximo fim de semana, os apoios devem rondar os 25 milhões de euros.

Este apoio adicional vai permitir compensar 20% das perdas do setor da restauração, mas será calculado com base nas médias das quebras de faturação de 2020, e não em relação aos períodos homólogos de 2019, ao contrário dos apoios que já estão a ser calculados para compensar as perdas do primeiro confinamento.

Siza Vieira explicou que no caso específico deste apoio adicional, o cálculo é feito desta forma para compensar as empresas relativamente ao que poderiam faturar caso estivessem abertas, pode ler-se no site da SIC Notícias. Este apoio será pago em dezembro.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.