Foi através de um comunicado que a CP – Comboios de Portugal anunciou a intenção da empresa de voltar a fazer greve já esta semana. Desta vez, estão previstas "perturbações significativas" e, até ao momento, o Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social não decretou serviços mínimos.

Greves no Metro de Lisboa podem condicionar regresso a casa no Rock in Rio e Santos Populares
Greves no Metro de Lisboa podem condicionar regresso a casa no Rock in Rio e Santos Populares
Ver artigo

A greve deverá arrancar pelas 17h desta sexta-feira, 27 de maio, mas a circulação dos comboios urbanos da região de Lisboa pode sofrer perturbações entre as 15h00 e a meia-noite, avança a CP no mesmo texto, citado pela CNN Portugal.

"A CP – Comboios de Portugal informa que, por motivo de greve parcial convocada por uma organização sindical, para o período compreendido entre as 17:00 e as 21:00 de dia 27 de maio de 2022, podem ocorrer perturbações significativas na circulação dos comboios urbanos de Lisboa, com impacto previsto entre as 15:00 e as 24:00, do mesmo dia", lê-se.

A CP "lamenta os incómodos causados aos seus clientes" e garante que "envidará todos os esforços para prestar o melhor serviço possível (...) apesar dos constrangimentos", mas deixa uma recomendação a todos aqueles que tencionem recorrer aos comboios urbanos de Lisboa esta sexta-feira, 27.

Para evitar constrangimentos maiores, podem obter informações sobre a circulação dos comboios através da página da Internet da empresa ou, ainda, da linha de atendimento: 808 109 110. Mas, atenção, a linha não é gratuita e tem o custo de uma chamada para a rede fixa nacional, avança a CNN Portugal.

Os serviços urbanos da CP em Lisboa incluem as linhas de Cascais, Sintra, Azambuja e Sado. No entanto, de acordo com o "Eco", a greve parcial desta sexta-feira, 27, terá menor intensidade na Linha de Azambuja, já que nesta circulam também comboios regionais, que não sofrerão quaisquer perturbações. 

O anúncio desta greve não surge sem aviso prévio, sendo que já na quinta-feira passada, 19, o Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), responsável pela organização destas greves, havia anunciado duas greves parciais nas zonas urbanas de Porto e Lisboa durante o mês de maio.

A primeira aconteceu esta segunda-feira, 23, no Porto, entre as 5h e as 8h30; e a segunda está então prevista para esta sexta-feira, 27. O motivo? É o mesmo que levou os trabalhadores a fazer uma greve de 24 horas no passado dia 16 de maio: reivindicar aumentos salariais.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.