Foi num parque infantil alemão, em Berlim, que uma mãe reparou na ausência da filha de 2 anos, momentos depois de se distrair a conversar com outra pessoa. Durante os segundos de distração da mãe, um homem de 44 anos pegou na criança e fugiu a correr, sem que a mulher se apercebesse, escreve o "Daily Mail".

Outra mãe que estava com a filha no mesmo parque viu o homem a falar com a criança e achou que este não seria seu familiar,  e ficou imediatamente atenta. Assim que o viu a fugir com a menina pela mão, foi com a filha atrás dele e pediu ajuda ao dono do quiosque do parque para apanharem o raptor.

Descoberto o refúgio do suspeito do rapto. "Temos provas concretas de que matou a Madeleine"
Descoberto o refúgio do suspeito do rapto. "Temos provas concretas de que matou a Madeleine"
Ver artigo

Assim que alcançaram o homem, Zoran, o dono do quiosque, confrontou-o e perguntou se este era pai da menina, enquanto o filmava. O raptor admitiu que não e disse: "Eu adoro crianças. Não percebo como é que as mães e os pais deixam os seus filhos em casa com amas."

Zoran forçou-o a voltar com a criança aos ombros até ao parque, onde a mãe estava em pânico à procura da filha. "Acho que as crianças são simplesmente a coisa mais importante. As crianças são o futuro, não são?", comentou o raptor com o dono do quiosque, um momento que também foi capturado em vídeo.

O raptor, que já foi detido algumas vezes por embriaguez, estava novamente alcoolizado, tem problemas mentais, mas não há registos de que seja pedófilo. A polícia foi ao local, deteve o homem, mas acabou por libertá-lo, alegando que não tinham motivos suficientes para mantê-lo preso.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.