A NASA, agência governamental norte-americana, anunciou a descoberta de um asteroide que tem a possibilidade de colidir com a terra daqui a 23 anos. O objeto, que de acordo com a agência se estima que tenha o tamanho de uma piscina olímpica, ou seja, cerca de 50 metros, tem a "pequena possibilidade" de atingir o nosso planeta no dia 14 de fevereiro de 2046, e foi descoberto no Observatório MAP em San Pedro do Atacama, no Chile.

Terapia fotobiodinâmica. O novo tratamento com luzes usadas pela Nasa que vai transformar a sua pele
Terapia fotobiodinâmica. O novo tratamento com luzes usadas pela Nasa que vai transformar a sua pele
Ver artigo

Segundo o Escritório de Coordenação de Defesa Planetária da NASA, e com base nas suas projeções, a probabilidade de o asteroide 2023 DW (conforme foi chamado pela agência), atingir a Terra é de 1 em 625. Contudo, o Laboratório de Propulsão a Jato da agência, que investiga a propensão de certos objetos celestiais atingirem o planeta Terra, calculou hipóteses um pouco mais altas: 1 em 560.

Apesar disso, ainda de acordo com o mesmo laboratório, estas projeções não são algo de alarmante, uma vez que "a possibilidade de colisão é extremamente improvável, sem motivo para a atenção ou preocupação pública", e que mais nenhum asteroide tem o ínfimo risco de atingir a Terra (pelo menos, tendo em conta as informações atuais).

Davide Farnocchia, engenheiro de navegação no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, na Califórnia, garantiu que "este objeto não é particularmente preocupante", escreve a "CNN". Apesar disso, a NASA realça que as hipóteses de colisão podem ser alteradas circunstancialmente à medida que mais estudos sobre o asteroide vão sendo feitos, e mais dados são recolhidos.

Através do Twitter, a agência governamental americana partilhou a descoberta, e na descrição da publicação dá a conhecer o objeto. "Identificámos um novo asteroide chamado 2023 DW, que tem uma probabilidade muito pequena de colidir com a Terra em 2046. Por norma, quando são descobertos novos astros, são precisas várias semanas de produção de dados de forma a reduzir as incertezas e prever adequadamente as suas trajetórias no futuro", pode ler-se na publicação.

Nos comentários, a agência garantiu ainda que os seus "analistas irão continuar a monitorizar o asteroide 2023 DW e fornecer novidades de previsões quando tiverem mais informações".

A "Eyes on Asteroids" da NASA,fornece-lhe a possibilidade de ver o objeto celestial aqui.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.