Com base nas publicações nas redes sociais de dez celebridades, os investigadores da Universidade Lund, na Suécia, descobriram quem são as figuras públicas que têm uma maior pegada de carbono. O estudo resultou da análise ao número de voos que fizeram em 2017, de acordo com o jornal "The Independent".

Os famosos viajam muitas vezes em trabalho, mas sempre recorrendo ao avião como meio de transporte — e não um veleiro sustentável como aquele que a ativista do clima Greta Thunberg usou para se dirigir até Nova Iorque para participar na cimeira sobre o clima das Nações Unidas, em setembro.

No estudo, os cientistas estimaram quantas milhas aéreas é que os famosos fizeram em média durante 2017 e as respetivas emissões de CO2 (dióxido de carbono) que resultaram de todas as viagens. No topo da lista está Bill Gates, o empresário e co-fundador da Microsoft, cujas emissões de carbono naquele ano corresponderam a 1,600 milhões de quilos ao fazer 59 voos, o que dá uma média de 343 mil quilómetros. 

A investigação presumiu que Bill Gates viajou no seu jato privado, o que não favorece a sustentabilidade do voo. É que num voo partilhado, as emissões de COacabam por ser reduzidas se pensarmos que o dióxido de carbono que cada pessoa emitiria num voo particular, podem ser aglomeradas num só meio de transporte — tal como acontece sempre que são usados transportes públicos ao invés de carros individuais.

Greta Thunberg atravessa Atlântico a bordo de um veleiro sustentável para chegar a Nova Iorque
Greta Thunberg atravessa Atlântico a bordo de um veleiro sustentável para chegar a Nova Iorque
Ver artigo

Em segundo lugar no estudo ficou a atriz e DJ Paris Hilton. Fez mais voos do que Gates, um total de 68, mas menos milhas, acabando por emitir 1,261 milhões de quilos de CO2  no ano estudado. Logo a seguir ficou a cantora Jennifer Lopez, cuja pegada de carbono estimada foi de 105 mil quilos de dióxido de carbono num total de 77 viagens de avião. 

A análise do estudo permite ter um termo de comparação do impacto que as viagens de avião no meio ambiente. Se uma pessoa comum produz cerca de um milhão de quilos  de CO2 por ano, e a esse número forem acrescidas as viagens, o aumento da produção deste gás vai contribuir para o agravamento do efeito de estufa do planeta.

A apresentadora Oprah Winfrey, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, o designer de moda Karl Lagerfeld, Meg Whitman, CEO da plataforma de vídeo Quibi e celebridades do desporto como Felix von der Laden e Andre Schurrle, foram as restantes personalidades analisadas, que ficaram abaixo dos valores das emissões de Jennifer Lopez.

Emma Watson, atriz conhecida pela saga de filmes "Harry Pottter" e por discursar em várias ocasiões sobre a igualdade de direitos, também integra a lista do estudo, mas em último lugar. A investigação revela que apenas com as 14 viagens que fez, a atriz emitiu 1,5 milhões de quilos de gás com efeito de estufa.

Contudo, de acordo com os investigadores, Watson "abdicou do uso de jatos particulares, viajando apenas em companhias aéreas comerciais", cita o jornal britânico.

"Parece que cada vez mais a crise climática não tem solução, enquanto um pequeno mas crescente grupo de super emissores continua a aumentar o consumo de energia e a retratar esses estilos de vida como desejáveis através dos seus canais de redes sociais", disse Stefan Gossling, um dos principais autores do estudo da universidade sueca.

O investigador, depois de revelar os resultados, sugeriu que as celebridades dessem um melhor exemplo. A conclusão do estudo aparece num momento em que várias pessoas do movimento Extinction Rebellion (XR) manifestaram-se durante quase duas semanas nas ruas de Londres, para tentar impedir a extinção em massa e minimizar o risco de colapso social.

Também no início do mês, de acordo com o canal Euronews, algumas celebridades apoiantes deste movimento, como o ator Benedict Cumberbatch, ou a atriz e modelo Sienna Miller, assinaram uma carta aberta aos jornalistas a reconhecer que o seu estilo de vida e profissão contribuem para a emergência climática, indo contra aquilo que defendiam nos protestos.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.