De todo o mundo têm chegado histórias trágicas de famílias que perdem os seus entes queridos para o novo coronavírus. Uma das últimas vem dos Estados Unidos, onde Buddy Baker perdeu os pais para a COVID-19, num espaço de seis minutos.

A história foi relatada no Twitter de forma a espalhar a consciência de que esta pandemia pode matar e que não acontece só aos outros.

Stuart e Adrian Baker eram os pais deste homem de 51 anos que morreram num hospital depois de serem testados positivos para o novo coronavírus. Morreram num espaço de seis minutos e Buddy garantiu que o casal estava de boa saúde nas semanas que antecederam o internamento.

“Os meus pais eram umas pessoas extraordinárias. Morreram os dois com uma diferença de seis minutos”, começou por dizer num vídeo que já se tornou viral no Twitter. “Vivemos num mundo em que as pessoas pensam: ‘Isto não me vai acontecer a mim, não nos vai acontecer a nós, não vai acontecer à nossa família’. Bem, a nós aconteceu. Às vezes as pessoas, especialmente as mais novas, sentem que são imunes a tudo, invencíveis, e esse simplesmente não é o caso”.

Pandemia não o deixa acompanhar a mulher na quimioterapia, mas fica à porta à espera
Pandemia não o deixa acompanhar a mulher na quimioterapia, mas fica à porta à espera
Ver artigo

Ao “Insider”, contou que os pais estavam de perfeita saúde até Stuart se ter sentido mal. O homem de 74 anos era asmático, mas sem outros sintomas, o médico mandou-o para casa. Os sintomas não melhoraram e, numa ida ao hospital, mandaram o casal ficar em casa em quarentena. A febre apareceu e Stuart ficou mesmo internado. Já a mulher, manteve-se em casa, sem febre e sem outros sintomas. Só que na semana seguinte o estado dos dois deteriorou-se.

O pai de Buddy foi testado positivo para o novo coronavírus e os médicos disseram que “era pouco provável que conseguisse escapar”. Em casa, a saúde física e mental da mãe de Stuart também começou a ficar pior. “Ela não tinha nenhuns sintomas, mas a ansiedade dela chegou a um ponto em que já nos começava a preocupar o seu bem-estar. Levámo-la ao hospital, mas nem sequer achávamos que ela pudesse ficar internada logo nesse dia”, contou à mesma publicação. “45 minutos depois de ela ser internada, fui contactado por um médico que me disse que era pouco provável que ela conseguisse escapar”.

Com a saúde de ambos a piorar, Buddy pediu que os pais fossem colocados no mesmo quarto, onde os seus ventiladores foram removidos. Pouco tempo depois, com uma diferença de seis minutos, morreram.

Em homenagem aos pais, Buddy Baker decidiu criar Stuart and Adrian Baker Memorial Fund, com uma página GoFundMe, para angariar fundos para várias frentes. Parte das doenças vão servir para ajudar “a encontrar a cura para esta horrível doença que lhes levou a vida”. Uma outra parte vai reverter para um fundo anual dados os estudantes de New York's Queensbridge Houses, sítio onde Stuart cresceu.

Para Buddy a partilha desta história serve essencialmente para alertar sobre os perigos desta nova infeção. O homem de 51 anos espera assim encorajar as pessoas a “praticar o distanciamento social, a lavar as mãos o mais regularmente possível e, mais importante, que se mantenham em casa”.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.