Com o coronavírus a fazer subir diariamente o número de infetados e o número de mortos em todo o mundo, os hospitais estão a ficar com medidas de segurança cada vez mais apertadas. Uma delas limita a entrada dos acompanhantes de doentes que se vão submeter a tratamentos.

E foi exatamente isso que aconteceu com Albert e Kelly Connor. A mulher está a lutar contra um cancro da mama desde janeiro, altura em que começou os tratamentos de quimioterapia. Desde aí que o marido não a tem deixado sozinha e acompanha-a a todos os tratamentos – até agora, altura em que o risco de contágio por COVD-19

Ainda assim, Albert arranjou maneira de fazer companhia à mulher. O caso aconteceu na cidade de Houston, no estado do Texas, nos Estados Unidos e está a emocionar o país.

Albert Connor sentou-se à frente de uma das janelas do hospital onde estava a mulher com um cartaz que dizia: “Não posso estar contigo, mas estou aqui. Amo-te. Obrigada a todo o staff”. Por coincidência, a sala para onde Kelly foi encaminhada ficava exatamente à frente do local onde estava o marido.

COVID-19. Família de 13 pessoas infetadas está junta na mesma casa
COVID-19. Família de 13 pessoas infetadas está junta na mesma casa
Ver artigo

“Devido o coronavírus, o hospital deixou de permitir acompanhantes. Mas o Albert quis estar lá para mim, apesar de não conseguir estar no quarto. Por isso, decidiu estacionar do lado de fora do hospital, em frente a uma janela que era onde eu estava a fazer o tratamento”, contou Kelly através de uma videochamada à estação televisiva “ABC”. “Senti tanto amor por ele naquele momento. Ele fez tudo o que conseguiu para estar ao meu lado”.

A doente explicou ainda que estava acompanhada por uma enfermeira no momento em que descobriu o marido sentado na cadeira ao pé do carro, com o cartaz. “Foi muito emocionante. Uma enfermeira estava no meu quarto quando o vi e ficámos as duas em lágrimas”, relembrou. “Conseguia ouvir todas as outras enfermeiras que se começaram a juntar nas restantes janelas para o conseguirem ver”.

Albert, por sua vez, explicou que é difícil imaginar as provações pelas quais um doente oncológico passa. Por isso, a única coisa que podia fazer era apoiar a mulher nesta altura mais difícil da sua vida.

O hospital espera agora que este ato seja visto como um ponto de partida para que as famílias apoiem os doentes que precisam de tratamento em meio hospitalar. “Eu estou orgulhosa de ter um marido assim. Falei com uma pessoa que trabalha no hospital que me disse que tinha esperança que este gesto servisse de incentivo para que as pessoas tenham ideias criativas para apoiarem as suas famílias durante este tempo”, explicou Kelly Connor.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.