Este sábado, 19 de dezembro, Boris Johnson falou aos cidadãos do Reino Unido. A conferência de imprensa aconteceu depois de o primeiro-ministro britânico ter reunido com o seu gabinete, devido à preocupação crescente da comunidade científica em relação a uma nova variante da COVID-19: propaga-se mais rapidamente, podendo estar na origem do aumento dos números de casos positivos neste país. Nas últimas 24 horas, começou por anunciar, registaram-se mais 27 mil infetados.

Suspeita-se de que o crescimento exponencial dos números esteja relacionado com maior rapidez com que a doença se está a propagar. Segundo o primeiro-ministro, que na conferência de imprensa se fez acompanhar do diretor geral da Saúde inglês, Chris Whitty, e do consultor científico Patrick Vallance, crê-se que a nova variante seja 77% mais transmissível em relação à original. Não há, no entanto, evidência de que esta provoque problemas mais graves.

A nova estirpe, avançou o consultor científico, tem 23 alterações face à variante anterior — e algumas estão a causar várias preocupações.

Novas medidas para o Natal

Boris Johnson anunciou também novas restrições, que entram em vigor já no domingo, 20 de dezembro. Em Londres e no Sudeste de Inglaterra, que passam agora para nível 4, todas as pessoas devem permanecer em casa. Também nestas zonas, todas as lojas não essenciais, ginásios e cabeleireiros, passam a encerrar. No que respeita ao Natal, residentes destas zonas não devem juntar-se a amigos ou familiares fora do agregado familiar.

No resto do país, a população só está autorizada a reunir-se com outros familiares no dia de Natal. Ou seja, já não podem reunir nos cinco dias anteriores, como havia sido anunciado antes.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.