Uma criança de 11 anos e quatro de 12 são as vítimas de um acidente na Austrália esta quinta-feira, 16 de dezembro, com um insuflável que levantou voo enquanto as crianças brincavam no último dia de aulas antes das férias de Natal. As cinco vítimas caíram de uma altura de aproximadamente dez metros, segundo as autoridades, não resistindo ao impacto da queda.

A polícia já identificou as cinco crianças da escola primária de Hillcrest, na ilha da Tasmânia, que não resistiram: Addison Stewart, de 11 anos, e Zane Mellor, Jye Sheehan, Jalailah Jayne-Maree Jones e Peter Dodt, de 12 anos, de acordo com o site da "BBC" australiana.

Acidente castelo
créditos: facebook

A tia de um dos jovens de 12 anos, Peter Dodt, lembrou o sobrinho nas redes sociais como um menino "cheio de vida e aventuras", disse Tamara Scott. Já sobre a criança de 11 anos, a tia, Meg Aherne, escreveu: "Nem sei o que escrever nesta fase. Todos estão arrasados, ela sempre foi uma alma doce, gentil e madura."

Criança fecha-se em casa após ser insultada de “gordo” e “deficiente” por adeptos durante jogo de futebol em Oeiras
Criança fecha-se em casa após ser insultada de “gordo” e “deficiente” por adeptos durante jogo de futebol em Oeiras
Ver artigo

Além das cinco vítimas mortais, outras quatro crianças ficaram feridas e três delas permanecem em estado crítico no hospital.  

Na internet já circula uma campanha de angariação de fundos através da plataforma Go Fund Me — que já conseguiu mais de 600 mil dólares, mais de 379 mil euros —, com o objetivo de apoiar os as famílias das vítimas.

Há ainda outra a circular para apoiar o pai de Peter Dodt, que tem a custódia de mais três filhos. Sobre o filho de 12 anos, o pai manifestou a perda através do Facebook. "O meu pequeno rapaz Peter Dodt ganhou asas esta tarde e deixou-me de coração partido. Daria tudo neste mundo para o ter de volta", escreveu Andrew na publicação.

Está agora em curso uma investigação sobre o caso, que levanta muitas questões. Isto porque, segundo o Bureau de Meteorologia da Austrália, na manhã do acidente o vento registava velocidades entre os sete e 22km/h — um intervalo considerado médio.

A verdade é que não é a primeira vez que ocorrem acidentes com castelos insufláveis e o último foi apenas há dois anos, na China, onde duas crianças morreram e outras 20 ficaram feridas numa situação semelhante. Também em 2015, uma criança que brincava num insuflável no Caniço, Madeira, acabou por morrer quando o equipamento foi arrastado por uma rajada de vento.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.