Quem nunca foi ao supermecado e acabou por comprar um saco de plástico, porque não tinha onde colocar todas as compras? É provável que não conheça ninguém que nunca o tenha feito. Mas um estudo revelou dados preocupantes. Cada família no Reino Unido compra, em média, 54 sacos de plástico por ano segundo uma nova pesquisa, como escreve o jornal "Independent".

As ativistas estão a pedir taxas mais altas sobre estes sacos, ou até, a proibição total. A quantidade de plástico gasta nos supermercados aumentou no último ano, tendo sido registado um valor superior a 900.000 toneladas — e apenas oito supermercados conseguiram lançar 58,3 bilhões de plástico. Já no ano passado não tinha ultrapassado as 886.000 toneladas, segundo dados do relatório Checking Out On Plastics que foram fornecidos  à Greenpeace e Environmental Investigation Agency (EIA) pelas próprias marcas.

Apesar das promessas públicas da maioria dos supermercados para a redução  no desperdício de plástico, os valores estão à vista. Sete em cada 10 dos principais supermercados do Reino Unido aumentaram o uso do plástico desde o ano passado — exceto o Waitrose, Tesco e Sainsbury que registaram uma diminuição. Já o Asda e a Aldi são os apontados com maiores taxas de desperdício de plástico. O Sainsbury passou de um lugar na parte inferior da tabela de 2018 para o terceiro  lugar da tabela este ano. Por outro lado, a Waitrose reduziu a quantidade de plástico e está a procurar oferecer postos de recarga para produtos como café, arroz, massa, vinho e até detergente. "É chocante ver que, apesar da consciência sem precedentes da crise da poluição, a quantidade de plástico descartável usado pelos maiores supermercados do Reino Unido aumentou de facto no ano passado", afirmou Juliet Phillips, ativista da EIA.

McDonald's retira tampas de plástico do McFlurry
McDonald's retira tampas de plástico do McFlurry
Ver artigo

Apesar de várias promessas por parte dos maiores supermercados do Reino Unido, como a Sainsbury's que afirma reduzir 50% de plástico até 2025 e Tesco 20% de plástico em embalagens de marca própria em dois anos, os valores indicados pelo estudo são contraditórios. Fiona Nicholls, uma ativista de plásticos do Greenpeace do Reino Unido, afirma: “Os supermercados estão a falhar em plásticos e a falhar com seus clientes.Ouvimos anúncios fragmentados de supermercado em plástico a cada duas semanas, mas na realidade eles estão a colocar mais plástico nas prateleiras do que nunca." Os ativistas afirmam que o que justifica este aumento de plástico está relacionado com os supermercados que não obrigam os fornecedores a agir  e reduzir o uso do plástico descartável — optando por embalagens reutilizáveis ​​e recarregáveis — e se se houver um aumento nas vendas, haverá automaticamente um aumento no plástico.

No entanto, um porta-voz da Aldi afirmou ao jornal "The Independent" que estão comprometidos a reduzir o plástico e fazer mudanças positivas nos negócios. “Já removemos mais de 2.200 toneladas de plástico e substituímos 3.000 toneladas de material não reciclável por alternativas recicláveis, como parte de nosso esforço para reduzir as embalagens de plástico em 25% até 2023. Sabemos que há muito mais a ser feito e continuaremos a ter discussões positivas com o Greenpeace para atualizá-las sobre nosso progresso", acrescentou.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.