Este sábado, 24 de julho, a polícia espanhola anunciou ter detido quatro cidadãos portugueses por suspeita de violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos.

O caso aconteceu numa pensão em Gijón, nas Astúrias, e, segundo informações de uma fonte da investigação ao jornal "El Mundo", as duas mulheres dirigiram-se à esquadra para apresentar queixa pelas 6h30 de sábado. Após o sucedido, a polícia espanhola dirigiu-se à pensão, onde encontrou ainda os portugueses a dormir. Os quatro homens, com idades entre os 20 e os 30 anos, foram detidos no local e aguardam agora para serem submetidos a interrogatório judicial, escreve a SIC Notícias. 

Violação não é um crime público em Portugal. Perceba porque é importante que a lei mude
Violação não é um crime público em Portugal. Perceba porque é importante que a lei mude
Ver artigo

Os portugueses deverão ser ouvidos pelas autoridades judiciais entre segunda-feira e terça-feira e será posteriormente avaliada a importância de os manter detidos — sendo que deverá ser elaborado um pedido de prisão preventiva, avança a SIC.

No momento da queixa, as duas mulheres, de nacionalidade espanhola, relataram que nessa noite se tinham encontrado com um dos homens num bar e que viajaram com ele para a pensão onde estava hospedado para um encontro sexual. Contudo, pelo caminho, encontraram um segundo homem e, ao chegar à pensão, mais dois (sendo que os quatro as obrigaram a manter relações sexuais), escreve o "El Mundo" com base nas informações dadas por fontes ligadas à investigação.

Durante a manhã de sábado, as jovens foram transferidas para o hospital de Gijón, em Cabueñes, para serem submetidas a exames médicos e a Polícia Científica deslocou-se à pensão para recolher possíveis provas da agressão sexual na sala onde terão ocorrido os ataques às duas mulheres, noticia o "Expresso". 

O caso está a chocar a Península Ibérica e ocorre numa altura em que Espanha se prepara para votar uma lei que acaba com a distinção entre abuso e violação. Após o sucedido, o presidente da câmara de Gijón, Adrián Barbón, e a delegada do governo espanhol nas Astúrias, Delia Losa, utilizaram as redes sociais para manifestar a condenação ao ocorrido.

"O machismo ataca e mata, é um atentado à liberdade das mulheres. A minha condenação total e absoluta pelo abuso múltiplo em Gijón, com quatro jovens presos por abusar sexualmente de duas mulheres", escreveu o presidente na rede social Twitter. 

"Quero expressar a minha condenação absoluta pela agressão sexual às duas mulheres ontem à noite, em Gijón. É desprezível e abominável. Mais uma vez, um grupo de homens usa a sua posição de poder para intimidar e agredir duas mulheres. Apenas sim é sim", reforçou Delia Losa.  

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.