Jacinda Ardern, de 42 anos, é primeira-ministra da Nova Zelândia desde 2017 e avançou que não se vai recandidatar. “Já não tenho gasolina para desempenhar bem o cargo”, disse Ardern numa reunião do Partido Trabalhista esta madrugada, 19 de janeiro sobre deixar a liderança do executivo, citada pelo “The Guardian”.

A imprensa neozelandesa afirma que a ainda primeira-ministra deixará de exercer funções no dia 7 de fevereiro, ou até mesmo antes. As eleições estão marcadas para dia 14 de outubro e o Partido Trabalhista terá de eleger um novo líder e primeiro-ministro. Até lá Ardern continua a exercer funções.

Andei de caravana pela Nova Zelândia à procura de um país que encanta e surpreende
Andei de caravana pela Nova Zelândia à procura de um país que encanta e surpreende
Ver artigo

“Estou a deixar o cargo porque este tremendo privilégio acarreta responsabilidade. A responsabilidade de saber quando somos a pessoa certa para liderar, mas também de perceber quando não o somos”, justificou Ardern de acordo com o mesmo jornal britânico.

A primeira-ministra está convicta de que este é o tempo certo para resignar ao cargo, mas a decisão terá sido tomada durante as férias de verão. “Sou humana, os políticos são humanos. Damos tudo o que podemos, durante o tempo que conseguimos. Até que chega a hora. E para mim, chegou a hora”, declarou Jacinda.

Quando começou a exercer funções de primeira-ministra da Nova Zelândia em 2017, Ardern tornou-se na chefe de governo mais nova do mundo. “Alguém que tentou sempre ser gentil”, é assim que a primeira-ministra quer ser relembrada pelos neozelandeses ao lado dos quais enfrentou uma pandemia [Covid-19], o ataque terrorista em Christchurch e a erupção vulcânica do White Island. Em 2018, já líder de governo, foi mãe pela primeira vez.

O primeiro-ministro da Austrália, Anthony Albanese, deixou uma mensagem de apreço a Ardern na sua conta do Twitter. “Jacinda Ardern tem mostrado ao mundo como liderar com intelecto e força. Ela demonstrou que a empatia e o discernimento são qualidades de liderança poderosas. Jacinda tem sido uma defensora feroz da Nova Zelândia, uma inspiração para tantos e uma grande amiga para mim.”, pode ler-se na publicação do primeiro-ministro australiano.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.