Uma professora primária tricotou 23 bonecos iguais aos alunos da sua turma, de quem sente saudades nesta fase de pandemia em que as escolas estão fechadas. Ingeborg Meinster-Van der Duin é professora primária na escola Dr. H.Bavinck, em Haarlem, na Holanda, e nunca tinha tricotado na vida.

A mudança deu-se no dia em que viu uma boneca de tricô na rede social Pinterest e decidiu tricotar os seus alunos de quem sente muita falta. “Estava tudo a funcionar e depois a escola fechou de repente. Atingiu-me verdadeiramente”, explicou a professora. “As crianças deixaram de ir à escola e eu tenho muitas saudades deles”.

Disney. O mundo encantado também está a sofrer com a pandemia
Disney. O mundo encantado também está a sofrer com a pandemia
Ver artigo

Dali à construção dos seus alunos em tricô foi um passo. Começou a tricotar pequenos bonecos que simbolizavam os alunos e quis fazê-lo da forma mais real possível. Para isso escolheu de propósito um look para cada boneco que representava o aluno na vida real e até incluiu em alguns sardas, tranças e laços para o cabelo.

A verdade é que os alunos conseguiram mesmo reconhecer-se nos bonecos. Depois de vários meses sem poderem pisar a escola, os alunos foram até à instituição buscar os seus pertences e foi nesse momento que a professora entregou o boneco personalizado a cada um.

O sucesso foi tanto que Ingeborg Meinster-Van der Duin já se comprometeu a fazer mais bonecos tricotados para o ano – e houve até professores da mesma escola que lhe pediram para fazer o mesmo para os seus alunos. “Não, não tenho tempo para isso”, respondeu-lhes a professora. A verdade é que cada bonequinho demora entre três a quatro horas a ser feito, o que perfaz 100 horas de trabalho no total.

professora holandesa

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.