Ao contrário do que foi anteriormente anunciado, o ensino à distância deverá ser uma realidade a partir de dia 8 de fevereiro. As escolas portuguesas fecharam na sexta-feira, 22 de janeiro, para uma interrupção lectiva de duas semanas devido à propagação da COVID-19 no País, e os alunos foram enviados para casa sem aulas online, tratando-se assim de um período de férias.

COVID-19. Fenprof acusa governo de encobrir "a situação vivida" nas escolas do País
COVID-19. Fenprof acusa governo de encobrir "a situação vivida" nas escolas do País
Ver artigo

No entanto, dada a previsão de que o período de fecho das escolas se prolongue durante mais tempo do que os 15 dias inicialmente anunciados, o ministério da Educação já terá dado indicações às instituições de ensino para prepararem aulas online, avança o "Correio da Manhã".

As aulas à distância deverão arrancar já dia 8 de fevereiro, numa altura em que ainda existem cerca de 200 mil estudantes portugueses da Ação Social Escolar a aguardar o envio de computadores. "Tendo as escolas, na preparação do ano letivo, previsto o funcionamento em regime não presencial, este deve estar preparado para poder ser ativado", refere um email com "instruções e recomendações" enviado aos diretores das escolas na quinta-feira (21), o mesmo dia em que o governo de António Costa anunciou a interrupção lectiva de duas semanas.

O documento em questão informa ainda que as escolas voltam a ter acesso a plataformas de editoras e outros recursos oferecidos no ano letivo passado para apoiar a implementação do ensino à distância, salienta o "CM".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.