A autópsia ao corpo de João Rendeiro, encontrado morto na prisão de Westville, África do Sul, na passada quinta-feira, 12 de maio, vai acontecer esta terça-feira, 17 de maio. A informação é avançada pela Lusa, que adianta que a informação é dada por uma fonte da morgue de Pinetown, nos subúrbios de Durban.

A mesma fonte adianta ainda que existem razões específicas para esta data, não tendo revelado no entanto quais. Mas pode estar relacionada com a investigação em curso às causas da morte do banqueiro português de 69 anos, condenado pela justiça portuguesa no âmbito do caso BPP.

A autópsia, de acordo com a mesma fonte citada pela Lusa, poderá demorar "cerca de duas horas", terá a presença de um médico legista e determinará a causa de morte de Rendeiro, excluindo assim outras suspeitas que as autoridades possam ter, nomeadamente o homicídio. Esta sexta-feira, 13 de maio, a causa provável de morte do banqueiro avançada pelos meios de comunicação social era o suicídio por enforcamento.

O corpo do ex-banqueiro foi reconhecido na sexta-feira, 13 de maio, pelo cônsul-honorário de Portugal em Durban, Elias de Sousa, que também tratou da documentação relacionada com o caso.

A tese de que Rendeiro estaria numa cela com mais pessoas caiu por terra quando os próprios serviços prisionais confirmaram que o ex-banqueiro estava sozinho num espaço confinado. O alegado ato de suicídio terá acontecido depois de as celas terem sido trancadas. "Ele estava numa cela única quando se enforcou. Foi depois de trancado, portanto, ninguém podia estar envolvido ou ter acesso a ele", explicou à Lusa o porta-voz dos serviços prisionais da África do Sul, Singabakho Nxumalo.

Esta sexta-feira, 20 de maio, vai manter-se a sessão preparatória do julgamento de extradição de João Rendeiro. O Ministério Público sul-africano confirmou que as diligências vão mesmo acontecer, para apresentar o certificado de óbito do ex-banqueiro e encerrar o processo de extradição.

João Rendeiro foi detido na África do Sul. Ex-banqueiro pode ser extraditado
João Rendeiro foi detido na África do Sul. Ex-banqueiro pode ser extraditado
Ver artigo

Em setembro de 2021, a fuga de João Rendeiro de Portugal, país onde fora condenado a um total de 10 anos de prisão em três processos distintos, ganhou contornos hollywoodescos. Depois de três meses sem que se soubesse do paradeiro do ex-banqueiro, Rendeiro foi detido a 11 de dezembro de 2021 num hotel em Durban, África do Sul, tendo sido depois preso em Westville, aguardando julgamento para, depois, ser extraditado para Portugal.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.