Há mais seis mortes e 2.316 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta terça-feira, 27 de julho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

A partir das 10 horas desta terça-feira, peritos e políticos voltaram a reunir-se no Infarmed para avaliar o ponto de situação da pandemia em Portugal e decidir se é ou não altura de levantar algumas das medidas restritivas em vigor. Já durante a reunião, Raquel Duarte, da Administração Regional de Saúde do ​Norte e do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), defendeu que é necessário continuar a usar máscara quando há aglomerações e propôs três níveis para o alivio da restrição de uso de máscara, com base na taxa de vacinação.

Pandemia fez aumentar número de crianças sem vacinas básicas. OMS teme regresso de doenças
Pandemia fez aumentar número de crianças sem vacinas básicas. OMS teme regresso de doenças
Ver artigo

Quanto à vacinação em Portugal, foi decidido esta terça-feira, na mesma reunião, que a partir de 14 de agosto os jovens entre os 16 e os 18 anos vão começar a ser vacinados, anunciou o vice-almirante Gouveia e Melo que coordena o grupo de trabalho para a vacinação da COVID-19 em Portugal. Já para as faixas etárias inferiores, o arranque da vacinação está dependente da aprovação da Direção-Geral da Saúde.

Ainda sobre as vacinas, após terem sido administradas 11.002.983 doses dos fármacos contra a COVID-19, o Infarmed revela que registaram-se apenas 11.314 casos de reações adversas, o que corresponde apenas a 0,04%. Das reações, 36%, menos de metade, foram consideradas graves e a maior parte (6485 casos) aconteceu com a vacina da Pfizer/BioNtech. Os dados correspondem ao levantamento até 22 de julho e foram revelados esta terça-feira, 27, o relatório da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.