Há mais oito mortes e 3.285 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta quarta-feira, 7 de julho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

Esta terça-feira, 6, Portugal voltou a alcançar um novo recorde de vacinação, tendo sido administradas 154.600 doses num só dia, avança a "SIC Notícias". Este é já o segundo dia em que o País bate recordes no número de inoculações. Também esta segunda-feira, 5, foram administradas 141.500 doses, o que faz um total de mais de 297 mil inoculações em apenas dois dias. Os dados mostram assim que o objetivo de acelerar a vacinação prometido pelo vice-almirante Gouveia e Melo está a ser cumprido.

Testes para entrar em restaurantes. Medida pode significar o fim das restrições ao fim de semana
Testes para entrar em restaurantes. Medida pode significar o fim das restrições ao fim de semana
Ver artigo

Para os vacinados que têm contacto de risco com casos positivos à COVID-19, as autoridades de saúde admitem adaptar as medidas de isolamento, mas relembram que sempre foi possível antecipar este período, com um teste negativo ao décimo dia.

"Em Portugal, o período de isolamento é de 14 dias. Desde há meses, começando-se a compreender melhor o período de incubação da infeção, foi dada a possibilidade de, numa avaliação individual, as autoridades de saúde poderem, perante teste negativo ao décimo dia, terminar o isolamento nesse dia", explicou o coordenador da Comissão Técnica de Vacinação Contra a COVID-19, Válter Fonseca, citado pelo "Diário de Notícias". 

Segundo Válter Fonseca, os dados ainda em análise, "sobre o verdadeiro impacto na transmissão e sobre como se comporta a situação epidemiológica com a variante Delta", são o que vai "fazer adaptar as medidas recomendadas para as pessoas vacinadas".

A marcar a atualidade está também a notícia de que o governo se encontra a estudar a hipótese da realização de testes à COVID-19 como requisito para aceder a restaurantes nos concelhos de risco muito elevado. A medida não incluirá, para já, os almoços em dias úteis, mas permite aos restaurantes estarem abertos depois das 15h30 aos fins de semana, desde que os clientes apresentem um teste negativo à COVID-19, escreve o "Jornal de Negócios" com base na notícia avançada pelo "Observador".

Atualmente, a variante Delta é já a prevalente em Portugal, apresentando uma frequência relativa de 89,1% na última semana de Junho, conclui o relatório realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e divulgado esta terça-feira.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.