A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) recebeu uma queixa relativa a uma festa de cariz sexual que envolvia não só treinadores e técnicos como também várias jogadoras de futebol do clube Famalicão na temporada de 2021-22.

De acordo com o "Público", tratou-se de "uma alegada orgia e práticas de cariz sexual" com pelo menos oito jogadoras do clube. A festa terá acontecido no apartamento de um dos membros da equipa técnica. "Ao ver várias colegas de profissão denunciar práticas de assédio sexual de um treinador e diretor desportivo, mas também a conduta negligente dos dirigentes do FC Famalicão, que foram avisados e nada fizeram, decidi contar também por esta via o meu caso e esperar que se investigue esta situação", afirma uma antiga jogadora na denúncia.

A nova denúncia foi feita após Miguel Afonso, ex-treinador da equipa feminina do Rio Ave, ter sido acusado de assediar jogadoras do clube. Miguel Afonso terá trocado mensagens íntimas com diversas jovens do Rio Ave, com idades compreendidas entre os 18 e os 20 anos.

Após uma das jogadoras de futebol ter relatado a situação aos pais, e depois de Miguel Afonso ter sabido disso, a atleta começou a sentir-se prejudicada no trabalho, não sendo convocada para o primeiro jogo da temporada. Além desta situação, o treinador foi também confrontado pelo namorado de uma das jovens. Miguel Afonso acabou por dizer que tratava-se de "uma brincadeira" e "pediu desculpas".

Numa entrevista à TVI/CNN Portugal, Miguel Afonso afirmou que "existiam brincadeira nas mensagens no intuito de não haver más interpretações". Até ao momento, o treinador está suspenso de funções até as acusações serem comprovadas.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.