Foi este sábado, 5 de setembro, que foi encontrado morto o suspeito do homicídio em Lalim. O corpo foi encontrado pelo sobrinho da vítima, a ex-mulher do suspeito do crime assassinada a 14 de agosto, enquanto este fazia um passeio com a sua cadela de caça. O corpo estava localizada a cerca de 700 metros do local do crime e foi encontrado 23 dias depois de as autoridades terem dado início às buscas. Em comunicado, a Polícia Judiciária avança que a causa da morte terá sido suicídio, cometido poucas horas após o crime.

O local que o suspeito do homicídio da ex-mulher, Ana Maria Melo, escolheu para pôr termo à vida é bem conhecido da família — uma vez que a propriedade pertencia ao seu avô, avança o sobrinho ao "Correio da Manhã".

"Disseram-me que o avô dele tinha uns terrenos naquela zona e achámos que podia estar lá. Fui por um lado e os meus colegas [o sobrinho de Ana Maria Melo fez o passeio com mais duas pessoas] por outro. Comigo ia uma cadela podenga, que uso na caça ao coelho, e que deu sinal de que havia algo estranho. Segui o caminho e vi o corpo, no meio do mato”, explicou ao mesmo jornal.

PSP diz que as testemunhas da morte de Bruno Candé afastam motivações racistas do crime
PSP diz que as testemunhas da morte de Bruno Candé afastam motivações racistas do crime
Ver artigo

Espera-se que as primeiras conclusões da autópsia realizada pelo médico-legal sejam conhecidas ainda no início da próxima semana. O caso teve início a 15 de agosto quando uma mulher de 56 anos se dirigiu para o seu local de trabalho, a fábrica Fumeiro Porfírios, em Lalim, com uma colega. Terá sido a meio desse trajeto que foi surpreendida pelo ex-marido, que já no ano passado tinha sido acusado de violência doméstica.

Foi nessa altura que o homem de 64 anos disparou, com uma arma de fogo, sete vezes e ferindo mortalmente a ex-mulher. Ainda disparou sobre a perna da sua colega, mas esta já se encontra "fora de perigo", segundo uma fonte oficial do Comando Territorial de Viseu da Guarda Nacional Republicana (GNR) ao "Observador".

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.