Cinco crianças, a mais nova com apenas 1 ano e a mais velha 12, ficaram sozinhas em casa em Bragança enquanto a mãe, de 40 anos, esteve fora cinco dias para ir até Lisboa, nomeadamente, ao cabeleireiro. As crianças ficaram ao cuidado do irmão mais velho, de 12 anos, e de uma amiga da mãe que lhes levava comida. O alerta foi dado por um cidadão à PSP de Bragança e no sábado, 20 de fevereiro, as autoridades montaram uma operação para resgatar os menores, que foram encontrados rodeados de lixo e sem higiene.

"Os agentes deslocaram-se ao local, bateram à porta e foi o mais velho que abriu e contou que estava sozinho a tomar conta dos irmãos", contou ao "Jornal de Notícias" o comissário Bruno Machado, que relata uma situação "exposição ou abandono e iminente perigo". Foram encontrados sacos com lixo doméstico e restos de comida, panelas e pratos sujos espalhados pela casa, bem como vários objetos cortantes ao alcance dos menores, continua o comissário. Segundo foi apurado pelas autoridades, as crianças dormiam todas no mesmo quarto, num colchão.

A PSP relata ainda em comunicado que todas as crianças "estavam descalças e vestidas com pijamas, sem qualquer conforto e com total desleixo e falta de higiene, sendo que dois meninos, com um ano de idade, estavam 'sujos' e sem qualquer cuidado".

Além dos gémeos de um ano, a mãe deixou sozinhas outras duas crianças com quatro e seis anos, ao cuidado do mais velho, de 12 anos, que não mantinha qualquer ligação à escola, nem ao ensino à distância. Sabe-se ainda que a PSP não conseguiu localizar o progenitor ou progenitores das crianças.

As crianças foram levadas pela PSP em colaboração com a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, e a mãe, cuja ocupação laboral é desconhecida, foi entretanto localizada pela PSP e já está de volta a Bragança. Às autoridades disse que se ausentou por suspeitar estar infetada com COVID-19.

O caso está agora nas mãos do Ministério Público e a mãe das cinco crianças poderá ser acusada de crime de exposição ou abandono.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.