Depois do aumento abrupto de novos casos de COVID-19, que levaram o governo a avançar para um novo confinamento — que deve começar às 00h desta quinta-feira, 14 de janeiro —, os especialistas estimam que o número de novos contágios diários chegue aos 15 mil nos próximos dias, situação que obrigará o executivo de António Costa a apertar ainda mais as medidas restritivas, avança o "Correio da Manhã".

Esta terça-feira (12), o governo reúne-se com os vários especialistas no Infarmed para avaliar a situação epidemiológica do País e assim decidir os contornos e medidas do novo confinamento. Já foi avançado que este terá muitas semelhanças com o confinamento do primeiro semestre de 2020, mas ainda não há decisão sobre o fecho das escolas.

Segundo teste de Marcelo Rebelo de Sousa à COVID-19 deu negativo
Segundo teste de Marcelo Rebelo de Sousa à COVID-19 deu negativo
Ver artigo

Numa fase inicial, este novo confinamento terá a duração de 15 dias, o mesmo período de tempo de cada estado de emergência, mas o governo já fez saber que se pode prolongar por igual período. Mais: perante as estimativas dos especialistas, e caso Portugal registe números de novos contágios a rondar os 15 mil, será bastante provável que o confinamento não tenha uma duração inferior a um mês.

De acordo com vários especialistas, o patamar dos 15 mil casos diários pode ser atingido já no final desta semana, salienta também o "Correio da Manhã", que avançam que o número mais baixo de infetados registado nesta segunda-feira — 5.604 — se deve à menor testagem aos fins de semana, e não a um abrandar da evolução. Assim, os números de infetados devem começar a subir já esta terça-feira, com os contágios a disparar na quinta-feira, dia em que Portugal entra de novo em confinamento.

Perante este grave cenário, António Costa já fez saber que a decisão sobre um confinamento mais restritivo será colocado em marcha a "grande velocidade", de forma a que seja possível travar o elevado índice de contágio a que a população portuguesa está sujeita.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.